“As obras públicas são a base da reconstrução argentina”

By Cristián Peters Quiroga17 February 2021

A fim de que as obras públicas virem o setor mobilizador da economia argentina, o presidente Alberto Fernández lançou os primeiros 30 projetos de infraestrutura para 2021, em 16 províncias do país. Um dos objetivos é que o país melhore sua integração física e tenha melhores canais de comunicação.

Highway RN 7 in Argentina.

A intenção se reflete no orçamento federal da Argentina para este ano, com o dobro do montante para obras públicas em relação ao que se havia destinado no ano passado.

Os pacotes de obras que se realizarão em Buenos Aires, Chaco, Córdoba, Mendoza, Neuquén e Tierra del Fuego, entre várias outras, incluem obras rodoviárias, redes de água potável, saneamento básico e infraestrutura urbana para cada uma delas.

Do total de 30 projetos anunciados há seis que têm especial relevância. A autoestrada RN7 em Buenos Aires, entre Luján e Junín, será retomada após a paralisação em 2018. Na mesma província, haverá investimento público em obras de saneamento. EM destaque também está uma intervenção bem ampla no saneamento da província de Santa Fé. Por fim, destaca-se o trecho 3 da rodovia RN158 em Córdoba, que une San Francisco e Rio Cuarto.

O pacote de obras totaliza mais de US$ 150 milhões em investimentos. A respeito, o Ministério de Obras Públicas do país disse que esta é a bandeira de largada da reativação econômica do país. O ministro Gabriel Katopodis disse que “este é o primeiro ano da reconstrução argentina. O país precisa de melhores estradas para se conectar, mas também tem que ver a infraestrutura com olhos no desenvolvimento”.

Segundo o ministro, o pacote contempla muitos projetos de água e saneamento porque na Argentina há 7 milhões de pessoas sem água potável e outros 20 milhões sem esgoto. “A missão é reduzir estes números”, disse.