América Latina em maturidade de estradas

By Construção Latino-Americana16 September 2021

Selecionamos 18 grandes iniciativas rodoviárias espalhadas pela América Latina. Os projetos 4G e 5G na Colômbia, a Rodovia Central no Peru, as pontes, túneis e rodovias no Chile e as grandes concessões rodoviárias no Brasil são indiscutivelmente evidências de que, mesmo com uma pandemia, os investimentos em conectividade latino-americana estão aumentando.

Concentrando-se no gigante sul-americano; desde 2019, foram licitados 71 projetos com investimentos superiores a US$ 12.000 milhões e anunciou-se concessões de outros US$ 4.300 milhões. Além disso, expectativa é de fechar 2022 com essa cifra de US$ 47 bilhões, muitos deles em obras rodoviárias.

Só para ilustrar, nos demais países, embora os números sejam obviamente menores, há outros projetos que apresentam desafios financeiros e técnicos igualmente importantes. A Travessia da Cordilheira Central, na Colômbia; a Rodovia Central, no Peru; o Corredor Interoceânico que passa pelo Chile, Argentina, Paraguai e Brasil; e que será a quinta ponte mais longa da América Latina, com 3,44 quilômetros de extensão no Equador; são exemplos de como a América Latina se conecta.

1.- Segunda Ponte Chaco Corrientes - Argentina

Puente Chacao

Este projeto a ser construído no trecho argentino do rio Paraná inclui um novo viaduto para ligar as cidades de Resistencia (na província de Chaco) e Corrientes (na província do mesmo nome).

Com investimento de cerca de US$ 800 milhões, a iniciativa prevê a construção de 30 quilômetros de acessos e estradas adicionais. A extensão total do Viaduto é de 6,5 km e 4 trilhas no total para circulação, duas de ida e duas de retorno.

2.- Concessão da rodovia BR-163 – Brasil

A BR-163/230 que une os estados de Mato Grosso e Pará, no Brasil, terá uma nova concessão por 10 anos e o consórcio responsável é formado pela Conasa Infraestructura, Zeta Infraestrutura SA, Construtora Rocha Cavalcante LTDA, Engenharia de Materiais LTDA e M4 Investimentos e Participações LTDA. O conglomerado deve administrar mais de 1.000 quilômetros de estradas entre os dois estados e os investimentos que deve fazer ultrapassam US$ 383 milhões.

3.- Ponte Salvador-Itaparica – Brasil

Puente Salvador-Itaparica – Brasil

Será a ponte mais longa da América Latina e ligará Salvador da Bahia à Ilha de Itaparica. Será administrada por um consórcio chinês composto pela China Communications Construction Company Ltd (CCCC), a CCCC South America Regional Company e a China Railway 20 Bureau Group Corporation.

Terá 12,4 quilômetros de extensão e reduziria a atual transferência em quase uma hora. As obras devem levar de quatro a cinco anos para serem concluídas. Além disso, inclui uma via expressa de 21,4 quilômetros e um acesso a Salvador de 4,6 quilômetros. Tudo isso soma investimentos próximos a US$ 1.400 milhões e a concessão é por 35 anos.

4.Costanera Central – Chile

Uma nova rodovia sob concessão para Santiago do Chile. A obra será a quinta rodovia desse tipo na capital chilena e envolverá desembolsos da ordem de US$ 1,25 milhões.

Inclui um túnel entre a Rodovia Central e a Avenida Américo Vespucio, e se estende por 12 quilômetros, com três faixas em cada sentido, podendo percorrer o percurso a 100 km / h. A previsão é que a licitação seja realizada no primeiro trimestre de 2023, com concessão de 45 anos.

Rota 5 Talca-Chillán – Chile

Ruta 5 Talca Chillán

É um projeto que cobriria cerca de 195 quilômetros, entre as regiões do Maule e Ñuble. Inclui a melhoria de estradas, pontes, cruzamentos ferroviários e outras obras. Por 54 quilômetros, terá duas pistas em cada direção para circular a 120 km / h.

Também está prevista uma extensão de 3 pistas em cada sentido entre San Carlos e Chillán Viejo; além de reabilitar curvas para 120 km / h. Todas essas obras somam investimentos de mais de US$ 800 milhões.

A concessão terá a duração de 32 anos e ficará a cargo do consórcio CRCC, constituído pelas empresas CRCC International Investment Co. Ltd. e China Railway Construction Corporation (International) Limited. O governo chileno estima que a obra levará oito anos.

Rodovia Tultepec – México

Inclui o projeto, construção, operação, manutenção, conservação e exploração da rodovia de 27,1 quilômetros entre Tultepec, o Aeroporto Internacional Felipe Ángeles e Pirámides. Irá ligar zonas como Querétaro, Toluca e outras, que terão acesso ao emblemático novo aeroporto. A obra, a cargo da Mota Engil, está prevista para começar em 2022 e custar cerca de 300 milhões de dólares.

Anel rodoviário periférico de Lima – Peru

É uma rodovia de 34,8 quilômetros com três pistas de cada lado, que contornará Lima e tem previsão de entrega para junho de 2022. Ao mesmo tempo, até o final de 2021 deverá ocorrer a versão final do contrato de concessão desse empreendimento esteja pronto.

O investimento total está estimado em cerca de US$ 2.400 milhões. Da agência Proinversión, eles assumem que o Rodoanel é uma alternativa à rodovia Evitamiento para melhorar a eficiência do tráfego na capital peruana. O trecho cruzaria onze bairros de Lima e um de El Callao e também inclui 35 viadutos, 17 nós rodoviários e dois túneis.

Autopista Vespucio Oriente I (AVO I) – Chile

Américo vespucio Oriente

Esta obra rodoviária em Santiago, Chile, inclui um túnel de dois quilômetros e uma rodovia de sete quilômetros, que têm como objetivo descongestionar um dos entroncamentos rodoviários mais críticos da capital chilena. O projeto AVO I vai demandar cerca de US$ 939 milhões e já está perto de 80% concluído. Os tempos de viagem devem ir de 40 minutos para apenas 10, com três faixas em cada direção e a 100 km / h.

Uma das maiores complexidades do percurso é o túnel que passará sob o morro San Cristóbal e o rio Mapocho. AVO I pode entrar em operação em meados de 2022.

Quinta ponte – Equador

A Quinta Ponte ou Viaduto Sul terá 3,44 quilômetros de extensão, além de 44 quilômetros de uma nova rodovia, cujas obras seriam adjudicadas no início de 2023. Ressalte-se que esta obra está paralisada desde 2008.

O Ministério dos Transportes e Obras Públicas (MTOP) anunciou que vai receber ofertas até dezembro deste ano. O projeto é mantido com quatro faixas e está prevista a instalação de pedágio. Custaria cerca de US$ 800 milhões e seria executado por particulares.

Além disso, esta iniciativa rodoviária inclui mais três pontes. As obras devem levar cerca de quatro anos para serem entregues e, assim, se tornar a quinta ponte mais longa da América Latina.

Corredor Interoceânico Brasil – Chile

O projeto da rodovia que busca ligar os portos brasileiros aos chilenos é uma realidade. A rota que inclui o Paraguai e o norte da Argentina, deveria estar operando a partir de 2021, mas ainda existem algumas rotas pendentes para que ela opere integralmente. Estima-se que 35% das obras ainda não foram concluídas.

São 2.945 quilômetros de estradas que cruzam principalmente Campo Grande e Puerto Murtinho (Brasil); Carmelo Peralta - Mariscal Estigarribia - Pozo Hondo (Paraguai); Missão La Paz - Tartagal - Jujuy - Salta (Argentina) e Sico - Jama - Portos de Antofagasta - Mejillones e Iquique (Chile).

Por exemplo, a ponte sobre o rio Paraguai ainda está em construção, além de algumas plantas do lado argentino e as melhorias na fronteira da passagem Jama entre Argentina e Chile estão pendentes. Em outra ala, mais ao sul, parte de outro corredor, está o túnel Agua Negra, que liga o Chile e a Argentina na altura de Coquimbo e San Juan, respectivamente. Esta obra está apenas na fase de projeção e financiamento. Só esse túnel envolve US$ 1,5 bilhão. Posteriormente, esse corredor chegaria a Porto Alegre, no Brasil.

Travessia da Cordilheira Central – Colômbia

Cruce Cordillera Colombia

Uma das obras rodoviárias mais importantes da Colômbia. A Invías investiu mais de US$ 750 milhões em 60 obras, que incluem 31 túneis e 25 pontes em um percurso de mais de 30 quilômetros. É importante lembrar que a Colômbia é atravessada de norte a sul por três cadeias de montanhas: Los Andes, Central e La Costa. Este projeto, que inclui o Túnel da Linha, que custou cerca de US$ 250 milhões, em breve será colocado em operação.

Rodovia Central – Peru

Cruce Cordillera Colombia

Como a travessia da Cordilheira Central da Colômbia, visa tornar as diferentes cadeias de montanhas que cruzam o Peru e a Colômbia mais transitáveis ​​e eficientes. As obras devem começar por volta de 2023 e envolverão cerca de US$ 2,9 bilhões.

São 137 quilômetros de uma rodovia interurbana com quatro faixas de cada lado e um trecho de 30 quilômetros bastante acidentado que inclui 93 pontes e 10 túneis. De referir que este projecto será executado no âmbito do acordo Governo a Governo, onde a França irá actuar no projecto como assessor técnico das obras.

A Rodovia Central facilitará a integração entre Lima e a rodovia Longitudinal de la Sierra e reduzirá o tempo de viagem, pois tornará a viagem mais ágil; ao mesmo tempo que caminhões de grande porte poderão aumentar sua velocidade média para o dobro (60 km / h). O governo peruano espera que essas obras sejam entregues até 2030.

Projetos 4G – Colômbia

O pacote de projetos rodoviários mais ambicioso da Colômbia. Os projetos de quarta geração têm muitas obras em andamento, algumas entregues recentemente e outras em fase de planejamento. O importante é que vai melhorar e, notadamente, está melhorando a infraestrutura rodoviária do país.

Autopista Pacífico 2 en Colombia

Para ilustrar, destaca-se a Autopista del Caribe- Ruta Caribe 2, que reduzirá o tempo de viagem entre Cartagena e Barranquilla de 135 para 85 minutos. Só essa rota custará cerca de US$ 1.100 milhões. Enquanto isso, a Rota Caribenha 2 compreende 79 quilômetros de segundas pistas, 16 de variantes e 253 quilômetros de corredor.

É bom ressaltar que todas as obras do 4G estavam 57% concluídas até junho deste ano. A título de exemplo, destacam-se as rodovias de ligação ao Pacífico 1, 2 e 3. A primeira delas, Pacífico 1, está cerca de 75% concluída e envolveu cerca de US$ 667 milhões; inclui dois túneis de via dupla, um deles com mais de 3,5 quilômetros de extensão. São mais de 50 quilômetros que melhoram a ligação entre Medellín e o interior de Antioquia.

A Pacific Connection 2 Highway está mais de 99% concluída. Possui 96,5 quilômetros de extensão e mais de US$ 433 milhões investidos. Destaca-se por incluir mais de 44 pontes e 37 quilômetros de via dupla.

No caso do Pacífico 3, também existem dois túneis, um deles com 3,4 quilômetros de extensão. O mais importante é que este trecho reduz o trajeto de Medellín a Buenaventura das atuais 15 horas para 10.

Destacam-se também os dias 1 e 2 de março, a Rodovia 2 do Rio Magdalena, as estradas NUS, entre várias outras. Todos juntos chegam a US$ 4.550 milhões. A lista é ótima. No final de 2021, espera-se que sejam entregues os projetos que já estão com mais de 95% concluídos, como Vías del Nus (US$ 300 milhões e 157 quilômetros); a concessão Cartagena-Barranquilla (US$ 400 milhões); o Transversal del Sisga (US$ 250 milhões e 137 kms); Rumichaca-Pasto (US$ 586 milhões e 83 kms).

Projetos 5G – Colômbia

Mais do que uma continuação do 4G, o 5G é uma extensão do seu escopo, uma vez que não se concentra apenas em projetos viários, mas também em portos e aeroportos. Claro, como o foco deste artigo são as estradas, vale destacar, por exemplo, ALO Sur, que vai melhorar a conectividade em Bogotá com 23 quilômetros de novas estradas, além de 5 vias do Transmilenio. Tudo isso soma cerca de US$ 325 milhões.

Destacam-se também as obras da nova malha rodoviária do Vale do Cauca, onde 310 quilômetros de novas estradas e investimentos de US$ 300 milhões irão melhorar as rotas.

Não podemos esquecer os concursos para a conclusão das obras do tronco Magdalena, que culmina na concretização das obras da empreitada Ruta del Sol II e da consolidação do corredor rodoviário, que facilitará a ligação do país entre o centro e as Caraíbas. Esses troncos permitem a conclusão de mais de 531 quilômetros de pista dupla. Essas obras envolvem investimentos de US$ 942 milhões.

Rodovia Interserrana – México

São 103 quilômetros que conectarão Matehuala a Monterrey, no norte do México. Inclui 49 pontes, quatro pistas e um pequeno túnel de 340 metros. Tudo isso implica um investimento de cerca de US$ 930 milhões.

A previsão é que essa rota seja habilitada a circular a 110 km / h, com duas faixas em cada sentido. Este projeto deve reorganizar e agilizar o transporte de cargas vindas do centro do México.

BR-101 e 116 no Brasil

As concessões brasileiras estão por toda parte. Entre a já mencionada BR 163/230 e a BR-101 e a BR-116, existem várias outras obras rodoviárias que somam mais de US$ 4,3 bilhões em investimentos.

Carretera BR 101

Entre as duas rotas, mais a BR-230/163 e outros pequenos projetos, estão benfeitorias de mais de 600 quilômetros como parte deste pacote de licitação. Que, se for lançada, será a maior concessão de rodovias de todo o Brasil em sua história. O caso do 116 terá uma concessão de 30 anos e contará com um sistema de pedágio eletrônico para financiar sua operação e manutenção.Em particular, a BR-101 e a BR-116 conectam Rio de Janeiro e São Paulo; o primeiro deles é turístico e faz fronteira com o litoral, enquanto o outro é mais industrial e utilizado principalmente para cargas e logística. É fundamental que ambas as rotas estejam impecáveis, visto que são as duas cidades mais importantes do Brasil.

Dentro dessa embalagem, destacam-se as obras da BR-381 / BR-262, conhecida como a rodovia da morte devido ao número de acidentes ao longo de seus 670 quilômetros, que demandam US$ 1.400 milhões do pacote total.

Ponte do Canal Chacao – Chile

Será uma ponte pênsil com 2,75 quilômetros de extensão, ligando o Chile continental, no extremo sul da Panamericana Sul, com a Ilha de Chiloé, sendo a ponte mais longa do país e seria entregue em 2025.

Atualmente o tempo de transferência é de 20 minutos de balsa, enquanto, com a ponte em operação, leva três minutos. Com a prorrogação do prazo, essa obra, se entregue no prazo, estará concluída após 31 meses de obras em terra e água.

36 estacas são necessárias para sustentar o píer central da ponte; onde cada um deles tem 55 metros de comprimento e 2,8 metros de diâmetro. Para conseguir suportar a carga estrutural, eles estão 40 metros abaixo do fundo do mar. Um dos requisitos é que a estrutura deve resistir a pelo menos 100 anos e para isso a Cbb Ready Mix criou a Cemento Chacao, que tem passivos ambientais de outras indústrias que ajudam a garantir a sua durabilidade ao longo do tempo.

Ponte Industrial – Chile

Seria a segunda maior ponte do país, com 2,5 quilômetros de extensão. A Ponte Industrial, mais ao norte da Ponte Chacao, na província de Concepción, ligará Hualpén a San Pedro de La Paz. Vai exigir cerca de US$ 250 milhões e deve ser entregue até 2024.

Este trabalho visa solucionar o elevado congestionamento na área, motivado principalmente por caminhões com cargas que circulam entre portos e áreas urbanas. A ponte terá duas faixas em cada sentido e totalizará 6,4 quilômetros de obras, considerando estradas urbanas que irão melhorar a conectividade e potencializar o desenvolvimento econômico, produtivo e logístico da região.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
As 50 maiores construtoras da América Latina - versão 2021
Esta lista apresenta uma queda de 15,2% na receita de 2020 em relação ao CLA50 do ano passado.
Grupo Burger: impulsionando o crescimento
Stacy Burger comenta sobre o crescimento do Grupo Burger e os desafios futuros.
Locar: Solidez e boa gestão
Amilcar Spinetti Filho conversou com a CLA sobre a estabilização do mercado e crescimento futuro.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL