Activo Austral, empresa chilena do setor imobiliário, lidera a posição CarbonNeutral

By Luciana Guimaraes13 July 2022

Activo Austral, uma empresa dedicada à comercialização de terras de conservação na Patagônia chilena, atingiu um marco importante ao obter a certificação CarbonNeutral, o selo de neutralidade de carbono mais reconhecido do mundo.

Para isso, suas emissões de gases de efeito estufa (GEE) foram calculadas e depois neutralizadas através da aquisição de créditos de carbono para a proteção da Reserva Costeira Valdiviana e a conservação da Floresta Amazônica.

Rafael Sotomayor, gerente da área de Responsabilidade Corporativa e Desenvolvimento Sustentável da Activo Austral

No total, durante 2021, as operações da Activo Austral geraram 59,5 toneladas de CO2, que foram medidas pelos consultores internacionais CarbonNeutral S.A. -uma especialista em gerenciamento da pegada de carbono e ajudando clientes corporativos a acelerar a ação climática.

Isto é detalhado por Rafael Sotomayor, gerente da área de Responsabilidade Corporativa e Desenvolvimento Sustentável da Activo Austral, que explica que os créditos de carbono sob o mercado voluntário fazem parte dos mecanismos originalmente definidos no Protocolo de Kyoto para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, o qual foi rapidamente expandido para o setor corporativo para acelerar a ação climática. “Essas reduções são medidas em toneladas de CO2 equivalente e traduzidas em certificados de emissões sob padrões internacionais, como o Verified Carbon Standard (VCS), que corresponde a uma tonelada de CO2 que é reduzida ou não mais emitida para a atmosfera. Em nosso caso, o processo foi gerenciado pela consultoria Carboneutral”, diz ele.

Ele acrescenta que os protocolos de certificação são variados para diferentes elos dentro da operação de uma empresa, mas que eles optaram por acessar o mais rigoroso deles; desta forma, ele enfatiza, “estamos atingindo o mais alto padrão”, o que ratifica seu propósito como uma empresa sustentável, além de procurar encorajar toda a indústria a acelerar as mudanças necessárias na luta contra a mudança climática. “Isto marca um marco dentro da organização, pois demonstra nossa preocupação com a ação climática, e dá um sinal claro ao setor imobiliário: que se forem deixados para trás, ignorando a conservação e os vínculos territoriais como uma ferramenta para o desenvolvimento humano, serão empresas obsoletas. Portanto, nossa certificação fortalece nosso modelo empresarial inovador onde somos pioneiros no Chile: comercializar terras para conservação perpétua em 98% de sua superfície, com 2% de habitabilidade, o que excede os padrões necessários para a colonização humana”, argumenta ele

Ao mesmo tempo, a consultoria Carboneutral argumenta que “as empresas de sucesso entendem que a ação climática é fundamental para sua sustentabilidade a longo prazo”. Ao se converterem cedo para um negócio neutro em carbono, as organizações estão ajudando a financiar e implantar globalmente as soluções mais econômicas para remover as emissões de gases de efeito estufa da atmosfera, ajudando a acelerar a conformidade do setor privado com o Acordo de Paris.

“A Ferrari dos créditos de carbono no Chile”.

Uma floresta tem a capacidade de capturar milhares de toneladas de dióxido de carbono em seu ciclo de vida. Ele entra através de diferentes mecanismos e o deixa “sequestrado” através de uma interação com fungos que estão conectados às raízes das árvores. Estima-se que florestas, pastagens e outros ecossistemas terrestres ao redor do mundo absorvem cerca de 30% das emissões de CO2 humano. Sem eles, a mudança climática estaria acontecendo ainda mais rapidamente.

A Reserva Costeira Valdiviana é uma área protegida privada, um marco de conservação florestal nesta área do sul do Chile e de sua Cordilheira Costeira, constituindo uma das maiores iniciativas de conservação do país. Localizada na comunidade de Chaihuín, ela se estende por 60.000 hectares. “Este é o primeiro projeto nacional certificado a entrar no mercado de crédito de carbono e é essencial apoiá-los em sua conservação”. Seus títulos são os mais caros e exclusivos da América do Sul, chegando a 27 dólares por 1 tonelada de CO2e por ano. Algo como a Ferrari dos créditos de carbono”, diz Sotomayor.

No caso da Amazônia, os últimos 50 anos causaram um desmatamento nunca antes visto na história da humanidade, exterminando 15% da vegetação do mundo. O executivo afirma que esta “é uma das florestas mais afetadas por esta depredação, e por esta razão, quisemos participar da restauração deste pulmão verde porque sua recuperação protegerá a biodiversidade e ajudará a estabilizar os ecossistemas”.

Viagens mais curtas, mais bicicletas

Sobre os números do relatório, os maiores impactos foram do transporte (44,1 toneladas): 11,9 toneladas do transporte aéreo comercial, 31,4 toneladas do transporte entre a casa e o trabalho (carros, bicicletas e motocicletas), 0,8 toneladas de carros alugados e apenas 2,3 toneladas de CO2 do trabalho remoto.

O gerente da área de Responsabilidade Corporativa e Desenvolvimento Sustentável da Activo Austral explica que com essas informações eles começaram a promover ações concretas para reduzir seus impactos. Por exemplo, nos regulamentos internos para viagens de negócios, eles reduzirão o número de pessoas que vão em missões, encurtarão estadias e escolherão fornecedores com certificações de redução da pegada de carbono. “Não basta baixarmos nossa pegada, nós realmente queremos agir”. Embora nosso impacto seja baixo, isto se deve também ao fato de que não temos processos de fabricação. O mais surpreendente sobre a avaliação é que quase metade das emissões foram provenientes de viagens de ida e volta e de negócios”, diz ele, acrescentando que eles esperam incentivar o compartilhamento do transporte público e o uso do transporte público e da bicicleta.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Por que é essencial digitalizar o setor da construção mexicana?
Coluna de Luis Herrera, chefe de vendas para a América Latina e Espanha, Procore
A magnitude e fomento do conceito ESG e da sustentabilidade
O que antes era tendência, agora é realidade. Considerando os indicadores dos três pilares (meio ambiente, social e governança corporativa), e a inerente preocupação - devida – das empresas, não há como negar que estratégias ESG trazem diversos benefícios para a percepção de valor, real, das companhias.
Compactação: declives suaves
Características excepcionais para um embalador de rolos seguro e eficiente
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL