ABB: Automatizando a Construção

By Mike Hayes09 August 2021

A empresa de tecnologia ABB, sediada em Zurique, anunciou recentemente uma mudança formal para o campo da construção.

A medida foi tomada pela empresa como resultado de uma pesquisa encomendada a 1.900 empresas do setor, cujo resultado revelou que 9 em cada 10 empresas prevêem uma crise de competências até 2030. O estudo também descobriu que 81% dos entrevistados esperamos usar a tecnologia robótica nos próximos 10 anos.

Robot preparando la estructura inferior de un puente. Robô preparando a estrutura inferior de uma ponte.

A ABB, que há anos constrói robôs para manufatura e indústria automotiva, vê a construção civil como o mercado principal para seus produtos, o que não é surpreendente, dada a taxa de crescimento de produtividade insignificante da indústria nos últimos 20 anos.

Andrea Cassoni, diretora-gerente da linha de negócios da indústria na divisão de Robótica e Automação Discreta da ABB, recentemente descreveu a indústria da construção como “um ponto de inflexão. Na verdade, provavelmente uma tempestade perfeita: de um lado, um mercado crescente, impulsionado pelo aumento da população e da urbanização; por outro lado, uma grande escassez de mão de obra e habilidades. Tudo isso aliado à necessidade de buscar mais produtividade, eficiência e uma construção mais sustentável”.

Caimento perfeito

O executivo, que falou com exclusividade à Construction Europe, descreve como a robótica pode ser inicialmente integrada aos processos de construção. “Normalmente vemos robôs em fábricas, por isso é importante trazê-los de volta à construção”, diz ele. “A manufatura é um ambiente normal para robôs, é onde a robótica e a automação estão em casa, então quanto mais você muda [construção] para as fábricas, mais viável é aplicar essas tecnologias ao processo, o que então traz eficiência”, ele garante.

“Por outro lado, também veremos mais robôs no site; talvez diretamente no local ou próximo, digamos mais móvel e em um ambiente mais controlado. Também vemos a necessidade de todos os sistemas se moverem mais ou menos em paralelo. E vemos mudanças na posição de todos, desde arquitetos a empreiteiros gerais, fabricantes de materiais e pessoas que alugam equipamentos. Existe esse imenso ecossistema em torno da indústria da construção que agora busca se adaptar para atender às mudanças e também tirar proveito delas ”, destaca.

Existen grandes oportunidades para que los equipos robóticos ayuden con la sostenibilidaden la construcción. Existem grandes oportunidades para equipamentos robóticos ajudarem na sustentabilidade da construção. Foto: ETH Zurique

Cassoni acredita que ao lado dos benefícios de eficiência e produtividade, existem oportunidades para os equipamentos robóticos ajudarem na sustentabilidade. “Quanto mais eficiência você obtém, menos erros você comete e menos necessidade de novos trabalhos. Quanto mais precisão, menos desperdício de material e, de fato, no final, você tem uma produção mais sustentável. Isso é o que você vê em formação; Se a primeira corrida for bem feita, você economiza material, o que é bom para lucros e perdas, mas também para o meio ambiente e para todas as garantias, como custos de transporte. Você não sobe e desce com um material que está ruim e aí vira um lixo que precisa ser reciclado ”, explica.

Outro aspecto destacado pelo executivo diz respeito à utilização de materiais mais ecológicos e ao uso de algumas tecnologias, como a impressão 3D, em que se utiliza apenas o cimento necessário, nem mais nem menos.

Robótica no comando

A ABB delineou seu objetivo de trazer uma gama de produtos e soluções para o mercado, mas Cassoni diz que os robôs vão liderar.

“No momento”, diz ele, “estamos usando nosso robô industrial padrão, equipado com cabeçotes de impressão 3D. O que estamos adicionando é nosso software de protótipo; é chamado RobotStudio e é um software de simulação. É bom para simular um processo de operações do robô e calcular tempos de ciclo, mas também é bom para integrar outros tipos de software e arquivos para que possam ser transformados em um caminho para o robô. “

O executivo exemplifica: “Existe um arquivo CAD que descreve a forma de uma parte de um edifício a ser impressa em 3D. Podemos pegar esse arquivo e colocá-lo no robô e o robô pode basicamente começar a trabalhar por conta própria, sem a necessidade de programação [adicional] e otimização de caminho. É isso que estamos trazendo para o mercado agora e estamos trabalhando para refinar ainda mais nosso software de construção. “

Andrea Cassoni, director gerente de la línea de negocios de la industria en la división de Robótica y Automatización Discreta de ABB Andrea Cassoni, Diretora Geral da Linha de Negócios da Indústria na divisão de Robótica e Automação Discreta da ABB

A empresa já possui um add-on de software para impressão 3D, específico para otimização de rota e velocidade, dependendo do que está sendo impresso. E, segundo Cassoni, pode ser ainda mais específico e otimizado, dependendo das características do cimento a ser aplicado.

O crescimento da produtividade na construção, em comparação com a manufatura, tem sido extremamente baixo nos últimos 20 anos, e muitos dentro da indústria têm clamado por maior automação, pelo menos das tarefas de construção mais comuns.

Cassoni diz que a ABB, com muitos anos de experiência em fabricação, tem pelo menos algumas das respostas. “Basicamente, estamos proporcionando uma transferência de conhecimento”, afirma. “Estamos trazendo habilidades, equipamentos, conhecimento e recursos de aplicação que foram usados ​​em outras partes da indústria da construção.”

“Se você pegar o plug-in de software que mencionei, que originalmente não era feito para impressão 3D de cimento, mas para outros materiais como plástico ou metal, podemos trazê-lo para a construção e podemos até otimizá-lo para as características específicas dos materiais [do edifício]. O mesmo acontecerá quando se fala em modularização e pré-fabricação. Estamos fornecendo tecnologias (soldagem, montagem, colagem, corte, aparafusamento) que utilizamos todos os dias em praticamente todos os demais setores industriais”, completa.

Lucros

Então, quem tem mais chances de se beneficiar com os primeiros robôs da ABB em construção?

Segundo Cassoni, a empresa busca um rollout global. “Estamos vendo muitas oportunidades na América do Norte com uma combinação de escassez de habilidades e talvez agora também o estímulo que está criando obras de infraestrutura, juntamente com a necessidade de moradias populares. Também na Europa, alguns países estão prontos para mudar para [construir com] unidades volumétricas. Também precisamos de uma nova geração de arquitetos para realmente começar a usar todos os recursos do BIM, conectar-se à automação e começar a pensar dessa forma. “

A ABB já possui equipes operando no terreno, em projetos de construção-piloto. Cassoni descreve as mudanças que a equipe de robótica está fazendo nesses projetos e segundo ele “alguns dos números que nossos clientes nos contam são realmente impressionantes. Estamos falando de melhorias de produtividade de 15 a 30%, e redução de resíduos nessa mesma faixa. E então, se você olhar para o efeito no tempo, que é um fator de produtividade, é incrível. Se você pode terminar um projeto em um terceiro tempo a menos, você pode começar um novo. “

Além de trabalhar diretamente com empreiteiros em projetos-piloto, a ABB está colaborando com várias instituições acadêmicas para desenvolver novos processos de construção automatizados. “Estamos trabalhando em vários aspectos: um é a integração de software; outra é a colaboração. Ou os robôs são segregados ou são colaborativos, tecnicamente são capazes de trabalhar junto com o homem em condições de segurança.”, explica.

Existem desafios significativos.

Em uma fábrica, um robô pode se mover sem problemas, em um ambiente ‘confortável’ conhecido pela automação. Considerando que padrões de segurança mais elevados são exigidos em um canteiro de obras, independentemente de os robôs estarem no local ou em uma pequena fábrica temporária próxima ao local. “Estamos trabalhando nisso; como garantir que a colaboração humano-robô em um aplicativo local seja segura, à prova de balas, como na fabricação. “

Sobre a questão de saber se a indústria da construção está disposta a aceitar esse nível de mudança, Cassoni diz que “estamos encontrando os pioneiros; pronto para pular, pronto para mudar, pronto para testar e retestar, experimentar e encontrar maneiras de trabalhar juntos. Então, é claro, há quem diga ‘vamos esperar’. O que é muito encorajador é que existem muitas empresas no meio, começando a experimentar. Mais e mais pessoas estão dispostas a tentar. “

O executivo descreve a indústria da construção como “fascinante, por sua complexidade e pela forma como opera como um grande ecossistema”, um sistema no qual ele acredita que as máquinas robóticas poderiam ajudar enormemente. “Acho que os robôs podem ajudar porque, é claro, você pode ter robôs sempre fazendo a mesma coisa, 24 horas por dia, sete dias por semana, mas você também pode, a qualquer momento, fazer uma alteração e personalizá-los, desde que você tem módulos. Então isso permite certeza, em termos de produtividade, mas também uma grande flexibilidade.”, finaliza.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
América Latina em maturidade de estradas
Revisão de alguns dos principais projetos de construção de estradas da região, que envolveriam investimentos de mais de US$ 18 bilhões.
Principais locadoras da América Latina
Uma nova versão do Latam Rental 45 mostra que 2020 foi um ano complexo, mas a indústria foi resiliente
Off Highway Research: 2021 terá vendas recordes de equipamentos
Apesar da pandemia, as vendas globais de equipamentos de construção atingirão um recorde este ano...se a indústria puder acompanhar a demanda.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL