A industrialização, o caminho para a produtividade, a inovação e a construção sustentável

By Luciana Guimaraes22 September 2022

Escrito por Carlos Bascou Bentjerodt, diretor do Instituto de la Construcción

La industrialización puede revolucionar la industria hacia un modelo más productivo y consciente con la sociedad y el medio ambiente A industrialização pode revolucionar a indústria em direção a um modelo mais produtivo, social e ambientalmente mais consciente. (Foto: Instituto de la Construcción)

O alto custo dos materiais, altas taxas de juros, maiores exigências de sustentabilidade, juntamente com um grande déficit habitacional, estão forçando a indústria da construção a procurar alternativas que permitam maior controle sobre os custos do projeto e o tempo de desenvolvimento.

A construção a seco é uma oportunidade para conseguir prazos de entrega mais curtos, controle de custos mais preciso e processos industriais mais eficientes. Este modelo de construção não só torna possível aliviar o déficit habitacional que nosso país vem enfrentando há anos, mas também traz benefícios como maior segurança, obras mais limpas, com menos desperdício e economia no uso de recursos valiosos, como água e energia.

Portanto, a industrialização pode revolucionar a indústria em direção a um modelo mais produtivo, social e ambientalmente mais consciente.

Isto ocorre em um contexto onde o setor da construção civil deve se transformar e avançar neste caminho de produtividade e sustentabilidade.

Na industrialização, dois pilares que estão diretamente relacionados são a produtividade e a sustentabilidade, especialmente em termos de gestão de resíduos, o que em si é um indicador de baixa eficiência no uso dos recursos, por isso é importante avançar na integração precoce dos projetos para que eles sejam considerados a partir do projeto e de suas melhorias.

A pandemia e a subseqüente crise econômica, que atingiu particularmente o setor da construção civil, acelerou a necessidade de fazer uso eficiente dos recursos em termos de custos, materiais, mão-de-obra e um aspecto que parece ser fundamental diante da mudança climática, que é a sustentabilidade. Em vista do exposto acima, e do que está implícito na palavra crise, estamos diante de uma grande oportunidade onde o único caminho viável a longo prazo para o setor de construção é a produtividade, a inovação e a construção sustentável, conceitos que a industrialização integra intrinsecamente.

Carlos Bascou Bentjerodt. (Foto: Instituto de la Construcción) Carlos Bascou Bentjerodt. (Foto: Instituto de la Construcción)

As principais dificuldades giram em torno da necessidade de uma mudança cultural no setor e que leve a trabalhar para uma força de trabalho mais preparada e certificada, tanto profissional como tecnicamente, o que por sua vez representa uma melhor oportunidade de trabalho para os envolvidos no setor.

Do ponto de vista econômico, embora ainda haja falta de confiança dos investidores e de experiência das empresas de construção para lidar com este tipo de sistemas de construção, começaremos a vê-los usados com maior freqüência, confiança e melhores resultados a cada dia.

O objetivo é encontrar as melhores soluções de construção disponíveis, que permitam um desempenho altamente eficiente do projeto, e para isso é fundamental a integração precoce da cadeia de fornecimento, o que implica em diferentes metodologias de trabalho, buscando um projeto integrado e um trabalho colaborativo que integre toda a cadeia de valor.

Outro aspecto que requer progresso é a regulamentação que permite um uso claro e eficiente das práticas e resultados de pesquisa dos países desenvolvidos que têm condições de risco sísmico similares às do Chile.

Dentro da construção a seco, a construção modular permite, do ponto de vista social, construir moradias acessíveis e de boa qualidade, há uma capacidade instalada e operacional de produção capaz de produzir soluções modulares de alta qualidade, a uma velocidade maior, o que pode trazer economias de escala interessantes quando se pensa em desenvolvimentos de grandes quantidades de moradias.

Nos últimos anos no Chile, a oferta de soluções com estruturas pré-fabricadas de concreto, madeira e metal, entre outras soluções mistas, aumentou e houve um aumento na demanda por esses elementos para a construção de infra-estrutura, edifícios comerciais, residenciais, mineradores e habitacionais; entretanto, o desafio de alcançar padrões globais exigirá progresso através de trabalhos colaborativos em nível público e privado e ações que permitam sua massificação.

Com tecnologia e inovação, a construção será capaz de melhorar seus prazos e tornar seus processos mais sustentáveis, reduzindo o desperdício e as emissões de CO2 enquanto aumenta a produtividade.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Dados que impulsionam as máquinas
Como os fluxos de dados de monitoramento podem reduzir custos e emissões de carbono e talvez um dia permitir que as máquinas funcionem por conta própria
Visita a Tinaja Hills
CLA visitou o Centro de Demonstração e Aprendizagem da Caterpillar em Tucson
Entrevista Engemix: qualidade concreta
A Engemix é uma empresa do grupo Votorantim Cimentos, a maior fabricante de cimento do Brasil e uma das maiores fabricantes do produto do mundo
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL