Perú se recupera e mostra sua força

By Gabriel Lira03 August 2021

La refinería Talara is making una ampliación que le will allow pasar from 65,000 barrels diarios to 95,000. The Talara refinery is expanding from 65,000 barrels per day to 95,000.

According to data from the Central Reserve Bank of Peru (BCRP), the construction industry in April reached even better levels than before the pandemic. That is, the recovery of the sector in the country is in sight. In addition, construction had a growth of 7.4% in April this year, compared to the same month of 2019.

According to the agency, much of this movement responds to the resumption of projects that were pending or delayed because of the pandemic. “In deseasonalized terms, the construction sector continued above the pre-pandemic level and reached the value of 115 in April 2021,” bcrp said.

It should be noted that the pandemic paralyzed all works at such a level that, comparing April 2021 with April 2020, the growth was 987%.

Another interesting fact is that in April the consumption of cement grew 16.3%, compared to the same month of 2019.

The powerful engine that is the construction

The construction sector is recovering rapidly, so it is necessary to finish what was being done to generate jobs and development for the country.

The resumption of many works gave an optimistic dynamism to the sector that led to double-digit growth.

In addition, construction is considered the activity that will drive the development of mining, hydrocarbons and other key sectors of Peru. In view of this, the new administration of the Peruvian government will have several challenges for the aforementioned industries.

During the Construction Innovation Week (SIC), organized by the Peruvian Chamber of Construction (Capeco), the role of the construction sector in economic reactivation and on the path of development was highlighted.

Special emphasis was placed on this because the union knows that the economic recession is only comparable to what happened after World War II.

Capeco’s managing director, Jorge Arévalo, stressed the importance of the sector, adding that when a work is activated, “it transports other services, such as architecture, engineering and labor in general, in addition to the consumption of insums such as cement, bricks or iron, many of which are of national production.”

Fuels to move Peru

The Talara refinery is peru’s most important energy project and today has the function of representing the hydrocarbon sector to retain investments, ensure the viability of initiatives and attract other exploration and production projects.

Carlos Barrientos, general manager of Petroperú, said during his presentation at SIC 2021 that Talara is 94% complete and should go into operation in November this year. Its expansion, which costs about $5 billion, will allow production to move from 65,000 barrels per day to 95,000. “We continue with the last phase of construction of this megaproject that will allow the production of cleaner fuels for the country, ensuring the preservation of air and the health of all Peruvians,” he said.

In energy, also stand out the projects of the Conchán refinery, Iquitos and the Norperuvian Pipeline, which add up to investments close to US$ 115 million.

Construction everywhere: mining

With regard to mining, for example, chinese investments in Galeno, Río Blanco and Pampa del Pongo stand out, which total US$ 8.2 billion in modernizations, expansions and operationalization of mining infrastructure of all kinds. A month ago, former Minister of Mines and Energy Jaime Gálvez stressed that “by 2025, the construction of 13 mining projects in Peru is planned to begin, totaling investments of US$ 11,753 million.

According to the National Institute of Statistics, INEI, mining accounts for 10% of Peru’s Gross Domestic Product, while hydrocarbons account for 3%.

O que acontecerá com os investimentos públicos?

Apenas no dia 20 de julho, foi anunciado que o novo Presidente do Peru será Pedro Castillo, que assumiu o cargo no dia 28 deste mês. Posto isto, vários atores do setor esperam que continuem os vários projetos de infra-estruturas em que existe um orçamento público envolvido. As obras não são poucas.

En materia de aeropuertos destacan dos grandes proyectos. Las obras del Aeropuerto Chinchero en el Cusco y la modernización del Jorge Chávez en Lima. Em termos de aeroportos, dois grandes projetos se destacam. As obras do Aeroporto Chinchero em Cusco e a modernização de Jorge Chávez em Lima.

Como legado do último mandato, existem investimentos significativos que se concentram em reduzir a lacuna de infraestrutura que o país possui. De acordo com o Ministério da Economia e Finanças (MEF), há uma cifra preocupante de US$ 91.843 milhões de lacuna nessa questão e eles já sabem que isso deve diminuir. Após o cálculo oficial, o MEF lamentou que o Peru tenha ficado para trás no desenvolvimento de infraestrutura em comparação com seus pares na região; talvez a falta de continuidade dos governos influenciou na falta de continuidade dos projetos.

Do MEF eles estão cientes disso e têm tentado tomar medidas a esse respeito. Algo animador é o investimento público acumulado entre janeiro e abril deste ano, que bateu recorde não visto desde o início do milênio: foram investimentos da ordem de US$ 2,4 bilhões, o que é 60% a mais do que foi injetado em 2014, ano em que o investimento peruano começou a diminuir.

Ao mesmo tempo, da Associação para Promoção da Infraestrutura Nacional (AFIN), existem - ou deveriam haver - 23 projetos com investimentos pendentes para 2021. Juntos, somam cerca de US $ 7.730 milhões. A AFIN afirma que sua implementação depende de entraves burocráticos e da implementação de tais iniciativas.

Acordos G2G: promover projetos e a economia a qualquer custo

Do Conselho Privado para a Competitividade (CPC), eles veem esses números com otimismo, já que eles próprios em um webinar organizado pela CAPECO haviam indicado que os investimentos públicos estavam em queda desde 2014. Nesse sentido, Camilo Carrillo, economista-chefe do CPC disse que “O Estado atingiu uma capacidade máxima de produção de projetos de cerca de US$ 7.590 milhões. Embora o Orçamento do Estado venha crescendo nos últimos anos, o Estado, nos seus três níveis de governo —nacional, regional e local— o executa; o que significaria que o percentual de execução vem diminuindo ”.

Segundo o especialista, por conta dessa redução, cerca de US$ 4 bilhões em projetos foram paralisados ​​em 2020. “Com esses recursos teria sido possível construir 8.977 quilômetros de estradas, 3.468 postos de saúde de primeiro nível e 87 hospitais de segundo nível”, declarou e criticou que isso “se deve à falta de capacidade de gestão e não de recursos”.

Nesse sentido, o economista disse que em grande parte a execução não acontece porque os projetos não são entregues no prazo. “Os governos regionais e locais levam quase o dobro do tempo para conceder o prêmio em comparação ao tempo programado para esses esforços.”

Ao mesmo tempo, disse que desde o governo central do país, os projetos administrados pela Provías Nacional atrasaram a execução em até 178 dias em relação ao inicialmente acordado. “72% dos atrasos estão concentrados na etapa de formulação e solução de dúvidas”.

Além da mera injeção de recursos, Carrillo afirma que os acordos de governo para governo (G2G) podem acelerar os esforços. Segundo o especialista, esse tipo de contrato traz diversos benefícios, entre os quais se destaca o PMO ou Project Management Office, que utiliza contratos de padrão internacional. “O investimento em infraestrutura por meio de acordos G2G também contribui para reduzir as lacunas de desigualdade. Por exemplo, para cada US$ 1 bilhão investido, são gerados 11,7 mil empregos diretos”, declarou.

Projetos priorizados

Do Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC), afirmam que são mais de US $ 2.500 milhões para 1.700 iniciativas de todos os tamanhos. Entre os principais projetos de conectividade, destacam-se quatro eixos: Rede Rodoviária Nacional, Aeroportos, Transporte Urbano e Comunicações. Quanto à Malha Rodoviária, as rodovias Pallasca-Mollepata, Huánuco-Conococha, Chinchero-Urubamba e Bellavista-Mazan, todas somam cerca de US$ 200 milhões em obras.

Ainda em material rodoviário, são 13 obras contratadas que significam quase US$ 1.300 milhões; A ponte 99 obras por mais de US$ 300 milhões e outras 20 obras em licitação e outros procedimentos.

Em relação ao transporte urbano, o ministro da pasta, Eduardo González, destacou a Linha 2 do Metrô de Lima, que agrega um investimento de cerca de US$ 350 milhões. É preciso lembrar que este megaprojeto conectará Ate com Callao na capital peruana. A viagem terá duração de 45 minutos e beneficiará mais de 2,4 milhões de pessoas.

Varios son los proyectos viales que tiene Perú para la década. El más destacado sin duda es la Nueva Carretera Central que tiene 136 kilómetros y decenas de puentes y túneles. Existem vários projetos rodoviários que o Peru tem para a década. O mais proeminente é, sem dúvida, a Rodovia Nova Central, que possui 136 quilômetros e dezenas de pontes e túneis.

Do lado do aeroporto também há novidades. O MTC destaca os mais de US$ 100 milhões investidos na atual fase das obras do Aeroporto Internacional de Chinchero, em Cusco; projeto que se encontra atualmente em fase inicial de terraplenagem. Ao mesmo tempo, as obras de melhoria e ampliação do Aeroporto Internacional Jorge Chávez, em Lima, registram avanço de 20,7% e estima-se que, em 2024, quando as obras estiverem concluídas, terão sido investidos cerca de US$ 1.500 milhões na obra.

Se acontecer que o presidente eleito, Pedro Castillo, dê continuidade a esses projetos, até 2024 a Nova Rodovia Central deve avançar com US$ 2.910 milhões; obra que terá 136 quilômetros, 4 pistas, túneis e pontes. Além disso, a Via de Evitamiento Juliaca com US$ 192 milhões, a próxima etapa da Linha 2 do Metrô de Lima que chega a quase US$ 2.000 milhões e a conclusão da construção do Aeroporto Internacional de Chinchero que agrega US$ 454 milhões ao que já já foi investido na iniciativa aeroportuária.

Ressalta-se que neste ano a execução de projetos de investimento público deve atingir ou ultrapassar US$ 9,8 bilhões, o que seria 35% do valor desembolsado em 2020.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
América Latina em maturidade de estradas
Revisão de alguns dos principais projetos de construção de estradas da região, que envolveriam investimentos de mais de US$ 18 bilhões.
Principais locadoras da América Latina
Uma nova versão do Latam Rental 45 mostra que 2020 foi um ano complexo, mas a indústria foi resiliente
Off Highway Research: 2021 terá vendas recordes de equipamentos
Apesar da pandemia, as vendas globais de equipamentos de construção atingirão um recorde este ano...se a indústria puder acompanhar a demanda.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL