Descaracterização da barragem em Minas Gerais mobiliza 150 empresas

By Luciana Guimaraes20 September 2021

As obras da primeira etapa da descaracterização da barragem B3/B4, em Nova Lima (MG), equipamentos comandados por controle remoto, incluindo tratores, escavadeiras, motoniveladoras, carregadeiras e caminhões, entre outros.

Serão retirados 222 mil m³ de material com a utilização de equipamentos remotos.

De acordo com a Vale, os operadores ficam a até 1 mil m de distância, operando os equipamentos e de forma segura dentro de salas de controle.

Mineradora informou que a utilização de equipamentos remotos na barragem B3/B4 se deve ao fato de ela se encontrar em nível 3 de emergência, o mais elevado e onde não é possível aos trabalhadores acessarem a estrutura diretamente ou sua Zona de Autossalvamento (ZAS).

Outras duas estão nessas condições e também receberão equipamentos operados à distância. São elas: Sul Superior, em Barão de Cocais (MG), e Forquilhas 3, em Ouro Preto (MG).

A primeira etapa da obra de descaracterização da B3/B4 envolve remover a pilha de estéril que se encontra a montante da barragem. 

A barragem B3/B4 já conta com uma grande estrutura de contenção a 8 km a jusante, concluída em outubro do ano passado, para fazer, em caso de rompimento, a retenção dos rejeitos.

Para que tenham o total controle das ações de movimentação de terra, os operadores contam com várias câmeras instaladas no equipamento e que permitem uma visão de 360 graus.

Na sala de controle, também foram instalados pedais junto ao assento do operador para que se recrie a sensibilidade física da condução do equipamento em campo, útil principalmente nas partes mais inclinadas do terreno.

Quando as obras avançarem para a remoção do rejeito da barragem B3/B4, o objetivo é contar com 27 máquinas operadas remotamente e 90 operadores capacitados nesse modo de operação. Já todo o projeto de descaracterização deverá ter, até 2022, 192 equipamentos e 500 operadores treinados.

Sobre a barragem:

A barragem se encontra desde fevereiro de 2019 em nível 3 do plano de emergência, que significa risco iminente de rompimento e prevê evacuação das Zonas de Autossalvamento.118 famílias foram removidas do local.

Em caso de rompimento, os 2,7 milhões de metros cúbicos (m3) - cerca de um terço do volume que se desprendeu da Barragem B1, em Brumadinho - de rejeitos da B3/B4 levariam pouco mais de 15 minutos para chegar a Macacos. Por esse motivo as famílias só vão voltar quando a barragem, mesmo sob obras, já tiver boa parte de sua carga removida.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
As 50 maiores construtoras da América Latina - versão 2021
Esta lista apresenta uma queda de 15,2% na receita de 2020 em relação ao CLA50 do ano passado.
Grupo Burger: impulsionando o crescimento
Stacy Burger comenta sobre o crescimento do Grupo Burger e os desafios futuros.
Locar: Solidez e boa gestão
Amilcar Spinetti Filho conversou com a CLA sobre a estabilização do mercado e crescimento futuro.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL