Construção sustentável por meio da tecnologia

12 August 2021

Escrito por Luis Miguel Herrera, diretor de negocios de Procore Latinoamérica

Procore

Estamos nos aproximando de um período crítico na luta global para deter as mudanças climáticas. A crescente consciência global desse fenômeno, e seu reconhecimento como o problema compartilhado número um da humanidade, está começando a criar uma grande pressão para que as empresas de todos os setores implementem padrões ambientais cada vez mais rigorosos e as melhores práticas sustentáveis.

Essa pressão vem tanto da regulamentação governamental, dos tratados internacionais, dos consumidores sensibilizados quanto dos novos critérios de sustentabilidade dos participantes proativos nas bolsas de valores mundiais.

A construção civil conhece bem esse processo, que tende a se aprofundar nos próximos anos e décadas, se aproximando do que já está acontecendo em setores como manufatura, transporte ou varejo. Para os players da construção civil, isso significa que surgem desafios importantes para se adaptar a um mercado com padrões muito mais exigentes, mas também oportunidades interessantes de liderança na indústria e posicionamento de mídia para empresas mais ágeis e pró-ativas nesse processo.

Nesse contexto, a tecnologia para gerenciar projetos de construção pode se tornar uma ferramenta duplamente valiosa. A otimização de processos e a eficiência no uso de materiais que softwares avançados podem alcançar para uma construtora, também podem valer a pena no avanço de seus processos de conformidade com novas regulamentações ambientais e na identificação de processos e materiais que gerem maior impacto ambiental.

Embora no caso da construção civil as normas de impacto ambiental muitas vezes dependam do cliente, uma política pró-ativa de sustentabilidade por parte das empresas pode se tornar um valor agregado inestimável, posicionando a empresa como referência em responsabilidade social. por sua vez, pode se traduzir em um ativo de marca responsável e abrir possibilidades interessantes de cooperação com órgãos públicos e privados voltados para a promoção de práticas sustentáveis.

Um exemplo recente disso é a construtora Turner, nos Estados Unidos, que conseguiu que metade de suas operações concluídas sejam consideradas “verdes”. A empresa reuniu uma equipe de mais de 1.000 pessoas credenciadas em um dos vários sistemas de classificação de edifícios verdes e uma rede nacional de 70 gerentes de sustentabilidade, que trabalham em estreita colaboração com a empresa para compartilhar as melhores práticas.

Procore

Esta pró-atividade na transição para modelos construtivos mais sustentáveis ​​(fortemente apoiados em ferramentas tecnológicas), deu à Turner a oportunidade de se tornar um porta-voz emblemático desse processo para toda a indústria, como demonstra a participação de Mónika Serrano, sua gerente de projetos para resiliência na conferência Groundbreak 2020 do Procore sobre tecnologia da construção, onde proferiu a palestra sobre Design e Construção Sustentáveis: “Desafios e oportunidades na perspectiva latino-americana”.

O modelo de sustentabilidade apresentado por Serrano assenta em três pilares: eficiência ambiental, resiliência e construção verde, e um dos seus principais objetivos é conseguir a redução pela metade de todos os gases de efeito estufa e do consumo de água nas obras em 2030.

Para isso, quando se planeja um projeto viável, essas emissões devem ser medidas sistematicamente, ao mesmo tempo em que é monitorada sua utilização em cada obra e seu desempenho. Uma vez que existe uma base de dados sistematizada de todas as obras em que a empresa já trabalhou, é possível analisar os padrões de consumo de cada um dos insumos nocivos, e identificar instâncias em que podem ser implementados ajustes que aumentem a eficiência de materiais e ajudem a reduzir o desperdício significativamente.

Luis Miguel Herrera

Às vezes, esses ajustes também significam economias significativas em materiais de construção e consumo de energia: de acordo com o relatório do Procore Como Obter um Bom Retorno do Investimento em Tecnologia de Construção 2021, o uso de software de gerenciamento de projetos pode economizar uma média de 10 horas por semana para equipes de gerenciamento e engenheiros de projeto. Existem várias áreas de oportunidade nas quais a indústria da construção pode contribuir para a luta contra as mudanças climáticas e agregar valor às suas comunidades ao fazer melhores negócios.

O software de gerenciamento de projetos de construção está desempenhando um papel fundamental na transição digital e sustentável do setor e pode se tornar o melhor aliado das construtoras para enfrentar os desafios dos próximos anos.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
A evolução do manipulador telescópico da Skyjack
Skyjack produz uma linha completa de telehandlers com sete modelos
Eletrificação das máquinas de acesso está superando o ímpeto regulatório
Impulso em direção às máquinas de construção elétrica começou com a regulamentação governamental
Dados que impulsionam as máquinas
Como os fluxos de dados de monitoramento podem reduzir custos e emissões de carbono e talvez um dia permitir que as máquinas funcionem por conta própria
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL