CAT lança sistema de prevenção de acidentes

By Gabriel Lira07 April 2021

A digitalização das operações, o desenvolvimento da mineração e a demanda global por diferentes projetos de obras públicas, fazem com que essas obras, em muitos casos, funcionem 24 horas por dia e 7 dias por semana.

Essa é uma tendência mundial e o Brasil não é exceção. É assim que aparecem dois importantes desafios: manter a intensa produtividade exigida pela indústria e ao mesmo tempo preservar a integridade física dos operadores, principalmente daqueles cansaços que podem ser a causa de acidentes.

É por isso que a Caterpillar, por meio da Sotreq, está lançando o sistema de segurança do motorista (DSS), que fornece informações precisas por meio da tecnologia de monitoramento facial. Nesse sentido, nas palavras de Paulo Moreira, Consultor de Tecnologia em Mineração da Sotreq, “o software registra e mede a abertura das pálpebras das pessoas com indicadores de sonolência; e usa esses dados para determinar a presença de fadiga. Ele também mede a orientação da cabeça, fornecendo informações sobre a distração do operador ao desviar o olhar longe da área desejada. Tudo isso em tempo real”.

Dessa forma, com a tecnologia DSS, é possível conhecer o desempenho dos motoristas em todos os momentos da jornada de trabalho, ao mesmo tempo em que entende por que ocorrem eventos críticos e, assim, consegue prevenir acidentes. O sistema também pode perceber para onde os operadores estão olhando, indicando ângulos de visão inadequados, distrações ou ações que afetem as operações que estão sendo realizadas, o que é relevante na prevenção de acidentes.

“Hoje temos mais de 300 equipamentos com sistema DSS instalados no Brasil, proporcionando segurança aos nossos principais clientes de mineração. No mundo, existem cerca de 5.000 máquinas e vidas humanas protegidas graças a esta tecnologia. Com o uso do DSS, contabilizamos uma redução de mais de 80% do risco de acidente por fadiga. Com isso, obtivemos aumentos de produtividade e redução de custos com falhas no trabalho”, explicou Moreira.

Ressalta-se que o DSS é imperceptível ao operador, pois é instalado em sistemas de máquinas e não nos acessórios usados ​​pelo trabalhador. “Não requer calibração ou configuração, é totalmente automático. Não precisa de treinamento adicional ou mudanças no procedimento operacional da mina”, disse Moreira.

A operação é simples. O sistema identifica fadiga e emite um alarme sonoro que alerta o operador. Se desejar, pode ser ativado um mecanismo de vibração no assento, o que também pode acordar o trabalhador e fazer com que ele perceba que está cansado. Enquanto isso, para as ações e movimentos do rosto, o sistema utiliza DSS IVS, que é uma pequena câmera montada no painel que ilumina o rosto do operador por meio de LEDs infravermelhos para detectar mudanças de comportamento sem que o operador perceba.

É bom observar que a Caterpillar oferece um centro de monitoramento 24 horas para a análise e classificação de todos os eventos gerados pelo sistema. Assim, por meio da avaliação histórica do banco de dados, é possível verificar padrões de comportamento e alterar rotinas que permitem a criação de estratégias ou ações que evitem o cansaço e distração do operador.

O sistema DSS é aplicável também a qualquer tipo de equipamento, desde caminhões de grande, médio e pequeno porte, pás carregadeiras, caminhões rodoviários, motoniveladoras, entre vários outros.

More Articles from Construção Latino Americana
Vendas da Volvo CE crescem no primeiro trimestre
Nos três primeiros meses de 2021, as vendas líquidas da Volvo CE aumentaram 23%
Nova escavadeira Liebherr R 928 G8
Nova adição à família da geração 8
Enel Green Power cancela contrato com Tozzi Latam
Da empresa de energia querem continuar o trabalho mantendo o pessoal atual para dar continuidade às obras.