Águas fora do canal

By Gabriel Lira15 April 2021

Em Missouri, nos Estados Unidos, houveram conflitos viais não menores . Problemas de acúmulo de água geraram caos estrutural e lógico de tráfego em uma rampa que se conecta à rodovia I-435. À primeira vista, parece uma rampa normal; o problema é onde está localizado os terrenos que o rodeiam. Existe uma propriedade rural que após as chuvas, a água atinge a rampa transbordando e dispersando a água pela faixa sul da rampa de acesso, permitindo que a água e os sedimentos associados drene. O que é um problema, porque uma estrutura bem projetada não deve apresentar esses problemas.

Curb Roller

Diante do perigo representado por essas circunstâncias, o Departamento de Transportes do Missouri (MoDOT) decidiu tomar uma actitude. Uma equipe de trabalho teve que fechar a rampa para liberá-la usando minicarregadeiras, caminhões e outros equipamentos. A cada dois anos é necessário fazer essas tarefas, onde as autoridades locais garantem que da última vez, a rampa teve que ficar dois dias fechada para remover o escoamento da chuva. Embora afirmem que isso resolveu parcial e temporariamente o problema, criou vários outros, como o fechamento constante de vias e tráfego que isso gera a cada intervenção.

Além disso, o MoDOT tentou incluir canais pré-moldados, mas eles se encheram rapidamente e também exigiram intervenção e limpeza. Também queriam fazer um forro com pedras, mas alguns estudos determinaram que a água poderia acabar levando-os “rio abaixo”. A solução definitiva ainda estava pendente.

Canalizando águas

No início de junho de 2019, a Realm Construction foi subcontratada a fim de chegar à tão esperada solução definitiva para a rampa de acesso à I-435. Inicialmente a iniciativa consistia em esparzir o concreto em pequenos trechos de cerca de 6 metros cada, pulando um e preenchendo o seguinte 6 metros. No dia seguinte, com o concreto seco, foram concretados os trechos que ficaram pendentes no dia anterior. Claro que, embora seja um método comprovado e barato, tem algumas objeções como o desgaste que produz nas equipes de trabalho, não sendo tão eficiente na sua execução.

“Se abordássemos este projeto dessa forma, a convencional, só podíamos colocar cerca de quatro seções por dia, o que equivale a 24 metros de revestimento de vala diariamente. Nesse ritmo, o projeto teria nos levado entre 15 e 20 dias. Eu sabia que poderíamos fazer isso mais rápido “, disse Russ Stark, diretor de operações da empreiteira.

Esta era a única solução conhecida por Stark e os seus trabalhadores, então a solução final viria após várias procedimentos técnicos. A proposta do empreiteiro tinha a ver com a colocação de um grande tambor de metal fabricado pela Curb Roller Manufacturing; empresa conhecida por soleras de rolos de concreto hidráulico e tambores de tamanhos personalizados. Embora a empresa use os tambores para estruturas menores, este tambor superou o que já havia sido feito, o que deixa a Curb Roller Manufacturing orgulhosa.

Curb Roller

Como o pedido era inédito, entregar um tambor dessas dimensões teve seus obstáculos. Matt Daulton, engenheiro de projeto e residente do MoDOT, analisou a proposta de Stark e a aprovou com uma condição: o uso do Curb Roller não deve aumentar o custo total do projeto. Assim, após receber autorização do MoDOT Stark e companhia tiveram que iniciar os trabalhos de nivelamento e escavação. O projeto original da vala, antes de implementar a ideia do Curb Roller, incluía larguras variáveis ​​e um fundo plano. Essa abordagem economizaria custos de nivelamento e escavação em um projeto de concreto tradicional, mas o método Curb Roller exigiria uma largura constante para colocar o concreto com sucesso. Stark estava convencido de que o custo adicional de nivelamento e escavação seria superado pela economia de tempo no futuro.

Enquanto essas obras estavam em andamento, Stark trabalhou com a Curb Roller Manufacturing para projetar e fabricar o tambor necessário com as dimensões perfeitas. “Projetamos tambores muito longos e diâmetros muito grandes, mas nunca os dois ao mesmo tempo”, disse Kraig Pyle, CEO da Curb Roller Manufacturing. Especificamente, o pedido era de um tambor de canal oco, com 7,2 metros de comprimento, 52 polegadas de diâmetro e quase 500 quilos. Pyle enviou um projeto de produto para Stark, que foi aprovado imediatamente. Com isso, a empresa entregou o tambor ao local de trabalho apenas cinco dias após a solicitação.

Curb Roller

Apesar de não estar isento de problemas, o procedimento sempre pôde ser realizado: superaquecimento do equipamento, problemas em algumas partes devido ao esforço realizado, bem como problemas na alimentação de energia, foram alguns dos contratempos. Todos, porém, sempre marcados a tempo de dar continuidade às obras. Assim, ajustadas a velocidade, distância e potência em perfeitas condições, a equipe da Realm Construction pôde continuar as obras em bom ritmo: foram lançados cerca de 150 metros de concreto por dia durante os três dias seguintes, praticamente sem obstáculos ou problemas, “se tivessem feito à mão, a qualidade e a consistência diminuíam”, disse Daulton. “Como eles fizeram isso em três grandes doses, um produto monolítico e uniforme foi criado em menos tempo”, disse ele.

Assim, deve-se considerar que com um método tradicional a execução das obras poderia ter sido, além de lenta, mais cara, uma vez que US $ 60.000 seriam necessários apenas em mão de obra por 15 dias úteis; enquanto com o método Curb Roller demorou 6 dias a um custo de US $ 24.000, economizando 40% do orçamento e mais de 720 horas de trabalho. “Houve custos adicionais, mas a despesa final ainda estava abaixo do orçamento”, concluiu Stark.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Bombas: Trabalho em pedreiras
Para obter resultados ideais, é essencial usar as bombas corretas.
A importância do Impulsor
BBA Pumps lança seu impulsor de canal de parafuso KS, que é projetado para evitar entupimento e vibrações em suas bombas de esgoto.
Coluna Sobratema: Tempos de renovação
A renovação das frotas de equipamentos deu um novo impulso ao mercado brasileiro. Escrito por Eurimilson Daniel.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL