A Liebherr celebra seu meio século no mercado de betoneiras sobre caminhão.

Htm 905

Esta é uma betoneira de quinta geração da Liebherr, a HTM 905. Quatro eixos e 9m3 de capacidade.

Já se vão 50 anos desde que a alemã Liebherr – referência mundial no que respeita as tecnologias para produzir e transportar concreto – produziu seu primeiro modelo de betoneira sobre caminhão. O aniversário é celebrado pela companhia com um número, que demonstra muito bem como seus equipamentos se tornaram globais neste meio século: são cerca de 92 mil as betoneiras Liebherr que estão ou estiveram transportando concreto pelo mundo ao longo deste tempo.

Quando esta história começou, tudo era diferente. O primeiro exemplar desta enorme família de máquinas saiu da fábrica de Bad Schussenried, na Alemanha, em 1967. O modelo HTM 601 foi o estreante, que tinha capacidade para transportar até 6 metros cúbicos de concreto. Sua nomenclatura significava: H para equipamento hidráulico; T para transporte; M para mixer; 6 para o volume nominal de transporte; e 01 queria dizer “primeira geração”. Uma curiosidade deste primeiro modelo é que seu balão era motorizado separadamente. Isto porque, de acordo com a Liebherr, não havia naquela época caminhões equipados com motores capazes de movimentar tanto seu próprio chassi e o implemento de betoneira.

A HTM 601 foi vendida sobre um chassi da marca alemã Henschel (tradicional fabricante alemão de caminhões, trens, ônibus e aviões), modelo HS22.

Meio século depois

Cinco décadas mais tarde, a Liebherr apresenta ao mercado mundial a quinta geração de suas betoneiras. Claro, o lançamento da nova série vem a propósito do aniversário de 50 anos.

De acordo com a empresa, um redesenho profundo faz com que a quinta geração seja inovadora em muitos aspectos. A principal mudança indicada é uma maior capacidade de carga, conseguida através de uma redução do peso do equipamento, além de uma melhor qualidade do aço. Montado sobre quatro eixos, os equipamentos da quinta geração apresentam um conceito de plataforma que permite o acoplamento de acessórios e opcionais em diferentes posições. Assim, promete-se satisfazer as necessidades dos clientes de maneiras mais específicas, além de facilitar os retrofits.

A quinta geração absorve os progressos técnicos obtidos ao longo dos anos desenvolvendo betoneiras. Uma história constituída de muitas consultas aos clientes, que sempre pediram à empresa mais capacidade de carga. Foi assim que a Liebherr passou de usar caminhões de dois para três eixos, ou semi-reboques. Depois, nos anos 90, novas regulações permitiram criar a betoneira de quatro eixos com capacidade de 9 m3. Esta se tornou a configuração mais popular da marca no mercado mundial.

A diferença pode ser observada nas imagens que ilustram esta reportagem. A betoneira de quatro eixos é a HTM 905, da quinta geração e com 9 m3. A de três eixos é uma HTM 702, da segunda geração, com apenas 7 m3 de capacidade, e que foi recomprada pela Liebherr para restauração e celebração dos 50 anos de produção. Está como nova, mas é um equipamento com 40 anos de uso.

Na América Latina, as betoneiras Liebherr são provenientes da fábrica de Guaratinguetá, interior do estado de São Paulo. Além desta unidade, a marca alemã também produz seus equipamentos de transporte de concreto na China, Tailândia e Arábia Saudita.

Esta capilaridade produtiva, associada à reconhecida qualidade de todos os seus produtos, explica por que é tão comum ver betoneiras Liebherr trabalhando em obras onde quer que se vá no mundo.