Logo de registrar queda de 1,8% durante este ano.

Mach chile

O investimento em construção fecharia 2017 com queda de 1,8% em doze meses, enquanto que em 2018 haveria crescimento de 2,4% anual, segundo assinalou a Câmara Chilena da Construção (CChC) durante a apresentação: Balance 2017 – Projeções 2018.

Javier Hurtado, gerente de Estudos do grêmio, explicou que com esses resultados, 2017 será o terceiro ano consecutivo em que o investimento em construção terminará com cifras negativas e que, da mesma forma que anos anteriores, isto está explicado pelo menor investimento em infraestrutura produtiva privada.

Com respeito ao investimento em infraestrutura pública, a CChC acredita que 2017 fechará com incremento anual de 1,1%, reflexo do aumento marginal de orçamento público deste ano medido em termos reais respeito de 2016 e uma base de comparação menos exigente.

Para 2018 no entanto, projeta-se um crescimento no investimento anual em infraestrutura pública de 2,2%, impulsado principalmente pelos investimentos em infraestrutura sanitária.

Em matéria de concessões, o fluxo de investimentos em 2017 alancaria US$763 milhões, enquanto que em 2018 chegaria a US$613 milhões, diminuição explicada pela finalização de obras relevantes e uma incorporação lenta de novos projetos.

Em quanto ao investimento em infraestrutura produtiva privada, estima-se que 2017 fechará com queda de 6,9%. O investimento em projetos de maior tamanho chegou a US$10,9 bilhões em 2017, dos quais US$5,6 bilhões foram por conta dos gastos em construção, cifra muito inferior aos US$13,5 bilhões de 2016.

Para 2018 está projetado um crescimento nos investimentos desde subsetor de 2,8% anual. Se bem o investimento em projetos de maior tamanho chegaria aos US$9,1 bilhões, dos quais US$4,9 bilhões seriam gasto em construção, essa cifra se compensaria com a execução dos projetos médios e pequenos.