CLA realizou uma visita guiada a uma série de fábricas de guindastes na Europa para saber em primeira mão como a indústria se prepara para 2018.

Uma interessante viagem pela Europa, com passagem por várias cidades, foi feita pela equipe da CLA e do KHL Group em outubro passado, com o objetivo de saber em primeira mão como vem se desenvolvendo o mercado de guindastes no mundo e como as fábricas estão respondendo às novas e crescentes demandas. Como integrante da missão e editor da CLA quero expressar o nosso agradecimento às companhias pela atenção e o tempo dedicado.

LINDEN COMANSA

Comansa

Em 2016, a América Latina representou mais de 13% do faturamento da Linden Comansa e, para este ano, se estima que esta parcela seja de 11%.

A primeira parada foi em Huarte, na Espanha, para conhecer as instalações da Linden Comansa. Fundada em 1963, ela é hoje uma das principais fabricantes de guindastes de torre e de lança basculante, e tem mais de 60 distribuidores no cinco continentes.

A companhia hoje opera em plena capacidade em dois turnos (de três) e projetos em andamento pelos próximos três meses. A fábrica da Espanha tem capacidade de fabricação de até 1,2 mil guindastes por ano. Essa cifra, evidentemente, depende do tamanho dos guindastes pedidos e de um bom contexto de pedidos.

Segundo Mariano Echávarri, responsável pela comunicação e marketing da companhia, o mercado está retomando forças e, inclusive, foram realizadas algumas vendas para Espanha, mercado em que pouco se comercializava desde o começo da crise em 2008. Com a paralisação no seu país de origem, não é de se estranhar a extrema internacionalização da marca, o que permitiu que hoje seus principais mercados sejam os Estados Unidos e a Escandinávia. No que se refere à América Latina, o executivo destaca a Colômbia, onde estão operando em vários projetos de infraestrutura.

Echávarri explica que, na América do Sul, o Brasil segue estagnado e sem perspectivas de melhora, e, por isso, as apostas se concentram em Argentina, Equador e Peru, além da supracitada Colômbia. Ao Norte, o México também apresenta boas perspectivas. “Temos um ótimo distribuidor, que também é nosso cliente: a empresa de locação de guindastes Groke, que já está participando no projeto do Novo Aeroporto Internacional da Cidade do México”, comenta. Vale mencionar que em 2016, a América Latina representou mais de 13% do faturamento da empresa e que, para este ano, Linden Comansa estima que esta parcela será em torno de 11%.

Entre as novidades, está a nova cabine Cube que, como o nome indica, tem o formato de um cubo. A mudança não é apenas estética, mas busca aproveitar ao máximo o espaço. “Graças a este desenho, foi feita uma redistribuição mais inteligente dos elementos, ganhando espaço para a ergonomia do operador, que inclusive pode estar acompanhado nas cabines maiores”, destaca Echávarri. O executivo reconhece que, como todo novo produto, pode haver uma resistência à estética inovadora, mas enfatiza que “ leva um tempo até se perceber todo os benefícios, mas isso vai acontecer”. O novo desenho da cabine será incorporado como padrão em todas as gruas acima de seis toneladas.

JASO TOWER CRANES

Também na Espanha, em Idiazabal, está localizado outro fabricante de guindastes, a JASO Tower Cranes, onde também se observa um mercado em boa recuperação.

Jaso

Em 2017, a JASO incorporou três novos modelos ao seu portfólio: as gruas J700, J215 e J1920DC.

A fábrica da companhia está operando com mais otimismo e, por mais que a Espanha possa estar dando sinais de recuperação, os esforços dos últimos anos foram concentrados na internacionalização e também na flexibilização, porque a empresa apostou com força na ‘customização’ de seus produtos, se adaptando às necessidades dos clientes, ao invés de oferecer produtos pré-fabricados. A filosofia da empresa é de não entregar apenas guindastes, mas também soluções, com uma produção sob medida.

Mesmo sem utilizar por completo a capacidade instalada de 1 mil unidades ao ano, a companhia destaca que a demanda está mais estável e com indicativos de crescimento no futuro. Representando cerca de 15% dos seus negócios, a América Latina é uma região de especial interesse para a marca. Mikel Iturrioz, diretor comercial da companhia, destaca o novo projeto com participação de nada menos que 17 equipes no Novo Aeroporto Internacional da Cidade do México.

O transporte e a montagem das gruas está a cargo da Espamex, distribuidora com a qual a empresa trabalha há mais de 30 anos e com quem também participaram com sucesso da ampliação do Canal do Panamá, obra de extrema complexidade. Os modelos em questão que operam no aeroporto são os guindastes de torre J150, com uma lança de até 65 metros e uma capacidade máxima de carga de 10 toneladas, e o J300, com lança de até 75 metros e capacidade máxima de carga de 12 toneladas, explica Iturrioz.

Vale destacar que ao longo de 2017, a JASO incorporou três novos modelos: J700, J215 e J1920DC. Além disso, o executivo ressalta o próximo lançamento, a J780PA, que será a maior e mais potente grua de lança basculante fabricada pela empresa, com uma capacidade de carga máxima de 75 toneladas e cujas primeiras unidades serão entregues em 2018.

LIEBHERR

Ehingen

A fábrica da Liebherr em Ehingen tem um terreno de 85 hectares, sendo 24 deles construídos.

No caminho para Ehingen é impossível não se impressionar quando ao longe se avista uma aglomeração de guindastes que dão a dimensão do terreno da fábrica. Uma volta pelas instalações confirma a impressão de que a Liebherr-Werk Ehingen GmbH, fundada em 1969, ocupa um terreno de 85 hectares, sendo 24 deles construídos.

A Liebherr Ehingen tem uma capacidade de produção de até 1,5 mil unidades ao ano, emprega mais de 3,3 mil pessoas e é responsável pela fabricação de guindastes de lança treliçada de até 300 toneladas e também de guindastes sobre caminhão com lança telescópica e guindastes de esteira. Uma responsabilidade nada pequena se considerarmos que a Liebherr representa 50% do mercado de guindastes todo terreno no mundo, segundo explica Wolfgang Beringer, head of sales promotion da companhia.

A fábrica investe de maneira intensa em pesquisa e desenvolvimento, o que se pode observar nas suas linhas de produção em movimentação constante para despachar quase cinco unidades por dia. Sem dúvida, um dos equipamentos mais surpreendentes que saem de Ehingen é a LR 13000, guindaste de esteira convencional mais potente e mais alto do mundo, com um mastro treliçado de 246 metros. Como transportar um gigante dessa magnitude? Com 150 caminhões. E vale destacar que uma LR 13000 já está em operação na refinaria Miguel Hidalgo, no México.

A 21 quilômetros de distância está outra fábrica do grupo alemão, a Liebherr-Werk Biberach GmbH. Fundada em 1954, esta instalação é a principal responsável pela fabricação de guindastes de torre da marca, e uma ampla variedade de componentes. Um dado muito interessante é que a Liebherr manufatura ao redor de 80% dos componentes das suas gruas, comenta Hans-Martin Frech, do marketing. De fato, uma das especialidades em Biberach é a fabricação de anéis de rolamentos, que podem alcançar até seis metros de diâmetro em peça única e até 7,5 metros quando segmentados. As peças são fabricadas com modernas máquinas robotizadas, também da Liebherr.

A Liebherr em Biberach é uma das maiores fábricas da companhia em todo mundo e conta com 3,2 mil empregados, metade deles trabalhando na Liebherr Components Biberach GmbH e a outra parte na Liebherr-Werk Biberach GmbH. A capacidade de produção de guindastes de torre da fábrica chega a 1,5 mil unidades, sendo os modelos mais populares a grua de montagem rápida 81 K.1, a Flat Top 202 EC-B e a torre móvel MK 88.

Outra parada dentro das fábricas deste importante grupo alemão foi em Nenzing, na Áustria. Com uma paisagem incrível no meio dos Alpes, a Liebherr-Werk Nenzing GmbH é especialista na fabricação de guindastes de esteiras de até 300 toneladas e unidades de manejo de materiais, estaqueamento e fundações.

Fundada em 1976, a Nenzing tem 1.650 empregados. Segundo Wolfgang Pfister, Head of Strategic Marketing & Communications, a fábrica tem uma capacidade de produção de 350 a 400 unidades ao ano e uma de suas máquinas best seller é o guindaste de esteiras LR 1300, equipamento que em 2013 conquistou o recorde mundial ao içar a parede de concreto flexível mais comprida, com 27 metros de largura. O executivo também destaca os equipamentos duty cycle HS 8130 HD e HS 8100 HD, e as máquinas de fundação LB 28 e LB 36.

Dada a alta tecnologia envolvida nesses equipamentos da Liebherr, a demanda do mercado latino-americano não é tão alta como poderia, mas ainda assim apresenta um grande potencial. Segundo destaca Pfister, no meio do ano foi enviado ao México um Liebherr LB 24-270 que está sendo usado na perfuração para fundações da estrada Cardel-Poza Rica. A Argentina e a Colômbia também são mercados que a companhia está observando com especial interesse graças aos grandes projetos de infraestrutura que estão sendo realizados.

SENNEBOGEN

A última parada da viagem foi em Straubing, na Alemanha, para visitar outro fabricante de referência: Sennebogen, empresa que em 2017 completa 65 anos. A comemoração coincide com a ampliação em 35 mil m² da sua planta Straubing II, festejada em um evento com mais de 2 mil distribuidores e clientes.

Sennebogen

Este ano, a Sennebogen ampliou a sua planta Straubing II em 35 mil m2.

Hoje em dia, Sennebogen tem 1,4 mil empregados ao redor do mundo — são três locais na Baviera, além de uma unidade de produção na Hungria e sucursais nos EUA e em Cingapura. Uma extensa rede de vendas e serviços, que inclui 150 distribuidores ao redor do mundo, é responsável pela venda de suas gruas e manipuladores de materiais.

Com uma capacidade de produção de até 1 mil unidades ao ano, Straubing II é responsável pela fabricação de 50 modelos diferentes, entre eles o Sennebogen 870E, equipamento que tem um inovador sistema recuperador de energia. De acordo com Michael Ibarth, diretor de marketing da empresa, quando o guindaste baixa a lança, um cilindro hidráulico adicional armazena energia, que pode ser aproveitada no içamento seguinte. O sistema pode, assim, reduzir os custos de energia em até 30%.

A instalação conta com uma academia de treinamento para técnicos, dealers e operadores, em que se formam cerca de 1 mil pessoas por ano, afirma Ibarth. Também chama atenção na fábrica o Museu Erich Sennebogen, espaço no qual se pode percorrer toda a história da companhia desde o seu início, e também conhecer seus primeiros modelos.

Vale lembrar que recentemente a companhia lançou a sua nova cabine Maxcab, com sete centímetros mais de profundidade, e um novo interior. Toda a área do operador foi aperfeiçoada de acordo com os últimos requisitos ergonômicos e a estação de trabalho pode ser ajustada individualmente para o tamanho e peso de cada operador. Um novo assento confortável, assim como alavancas de comando e elementos de controle dispostos de maneira otimizada, permitem trabalhar de forma tranquila e concentrada, reduzindo ao mínimo qualquer sintoma de fadiga. A companhia priorizou soluções de maior qualidade durante o processo de projeto e desenvolvimento, e ressalta que a nova cabine utiliza materiais com absorção sonora e soluções estruturais para reduzir significativamente o nível de ruído. A Maxcab pode ser adquirida com diversas opções de segurança, como uma ampla gama de variantes de vidros e grades de proteção, assim como janelas de teto com limpadores e para-sol integrado.