Um guindaste Link-Belt tem papel essencial na execução deste projeto no México.

O projeto da estrada Atizapán-Atlacomulco, no México, é uma iniciativa que esteve parada por muitos anos. Apesar da concessão ter sido realizada em 2014, com expectativa de conclusão em 2016, a obtenção dos direitos da via se complicou e foram necessários importantes ajustes no traçado. A Secretaria de Comunicações e Transportes (SCT) do governo mexicano informa que o custo atual da obra está 62% acima do orçado inicialmente, totalizando investimentos de 9,5 bilhões de pesos (cerca de US$460 milhões).

1

A estrada Atizapán-Atlacomulco é um projeto de 74 quilômetros de extensão e conta com vários viadutos.

Mesmo com o difícil começo, a obra — executada pela OHL México —começou a sair do papel em 2017 e, neste ano, está em ritmo acelerado. A rodovia terá 74 quilômetros, com quatro pistas de circulação (duas para cada sentido), atém de vários túneis e viadutos. A expectativa é que o projeto melhore a ligação da zona metropolitana do Vale do México (ao redor da capital Cidade do México) com as regiões norte e oeste do país.

Foi neste contexto da retomada que, em julho de 2017, a locadora Grúas y Autotransportes Velásquez S.A. de C.V. (GAVSA), com sede em Villahermosa, no estado de Tabasco, recebeu um contrato de aluguel de guindaste para o projeto. O escopo do trabalho para a companhia inclui a construção de colunas de suporte, o transporte de materiais e a instalação de andaimes e guindastes de torre.

Para realizar estas tarefas, a GAVSA confiou em um RTC-80130 Série II da Link-Belt, de 120 toneladas métricas (130 toneladas), que está em operação na construção de andaimes em uma das seis pontes elevadas da estrada, com 120 metros de altura e 500 metros de comprimento.

Jorge Apolonio Velázquez, gerente de operações da Villahermosa para GAVSA, explica que, entre outros fatores, este equipamento foi escolhido pela facilidade de transporte e pela automontagem do RTC-80130. “Chegar na base das colunas para as seções da ponte não é fácil, mas o RTC-80130 atuou muito bem no terreno acidentado e íngreme. Temos envios constantes de vergalhões e outros materiais que chegam pelo lado norte do canteiro de obras, com apenas um pequeno intervalo de tempo para levar o RTC-80130 por um caminho inclinado e o colocar na posição certa para receber as entregas”, explica Velázquez.

2

Para este trabalho, a GAVSA escolheu um RTC-80130 Série II da Link-Belt, de 120 toneladas métricas (130 toneladas).

Relação forte

A GAVSA é um cliente da Link-Belt há muito tempo, e conta com mais de 35 guindastes da marca na sua frota de locação. “Gostamos dos modelos da Link-Belt pela facilidade de manutenção e reparo”, conta Velázquez.

A Link-Belt Cranes, com sede em Lexington, no estado americano de Kentucky, é uma das principais fornecedoras de guindastes telescópicos e treliçados para a indústria de construção em todo o mundo.