A empresa chilena Tecno Fast, que já tem quase 25 anos de história operando no negócio de construção industrializada no Chile, tem um importante plano de crescimento para os próximos anos. A empresa tem o objetivo de duplicar seu Ebitda entre 2019 e 2023.

TermoCandelaria

Jenny Quinche, gerente da Tecno Fast Colômbia, comenta um de seus negócios mais recentes, para a TermoCandelaria, em Cartagena de Indias.

Com esta meta por diante, a empresa vem realizando uma série de processos, entre os quais se conta a fabricação automatizada, desenvolvimento de novos produtos e o fortalecimento de sua operação em outros países da região.

Novos produtos

“A Tecno Fast opera principalmente no mercado de locação e venda de soluções espaciais fabricadas mediante processos de construção industrializada, incluindo: engenharia, arquitetura e desenho de projetos de infraestrutura comercial e industrial; a locação de espaços para escritórios, acampamentos e armazéns, o transporte, a logística e a montagem de soluções integrais”, afirma Jenny Quinche, gerente comercial da Tecno Fast Colômbia.

Mas a empresa vem ampliando seu portfólio de produtos, incorporando soluções novas como o Tecno Fast Home, que é uma proposta de casas compostas por ‘cápsulas’ que permitem uma infinidade de combinações, dando ao proprietário a faculdade de ser seu próprio arquiteto. A Tiny Cabin, por exemplo, é um projeto de casas de 24,5 m2 de superfície, que se orienta principalmente ao mercado de segunda residência ou locação de chalés. E por fim os chamados Tecno Fast Village são uma cadeia hoteleira cujo modelo de negócios é construir e operar hotéis nas instalações de operação mineradora.

Page 33

Além de um compromisso com a qualidade, outro ponto a destacar na Tecno Fast são suas certificações ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001, atualizadas em 2018, sendo a primeira empresa de construção modular três vezes certificada desde o ano de 2012.

Internacionalização

Segundo Jenny Quinche, “três anos depois de sua criação no Chile, em 1998 a empresa iniciou suas atividades no Peru, com uma filial própria, e em 2018 abriu a Tecno Fast Argentina, e depois em 2011 a Tecno Fast Colômbia e uma filial no Brasil, a Tecno Fast Módulos do Brasil, todas com foco na locação de soluções espaciais nestes mercados”.

A executiva, que se incorporou à filial colombiana no primeiro trimestre do ano, comenta as grandes oportunidades que se abrem para o crescimento da empresa em seu país. Segundo ela, a Colômbia reporta ao redor de 2% do faturamento da Tecno Fast, e no ano passado a filial gerou vendas de cerca de 3 bilhões de pesos colombianos (cerca de US$ 880 mil), mas para este ano espera fechar com vendas da ordem de 7 bilhões de pesos (pouco mais de US$ 2 milhões).

Jenny Quinche comenta que, entre seus acordos comerciais este ano contam-se contratos de venda de soluções modulares para empresas como a central termoelétrica TermoCandelaria, na sua unidade de Mamonal, zona industrial de Cartagena de Indias, e com a maior operadora de ônibus do sistema de BRT Transmilenio, de Bogotá. Além disso, vem se dedicando a expandir o negócio junto à mineração, setor elétrico e petroleiro no país.