O Enlace Santa Elena é parte de um macro-projeto de US$828 milhões de agora a 2035.

FOTO2

O enlace promete diminuir em 30% o tempo de traslado num bairro que está crescendo muito no norte de Santiago.

Um projeto viário urbano no limite norte da Região Metropolitana de Santiago do Chile promete reduzir em 30% os tempos de traslado: se trata do Enlace Santa Elena. A iniciativa, que demandará investimentos de cerca de US$ 9 milhões, beneficiaria a mais de 1,3 mil motoristas que circulam a cada hora nas horas de rush entre a Autopista Los Libertadores e a região conhecida como Chicureo Norte.

O projeto é, na realidade, parte de um macroprojeto que prevê US$ 828 milhões investidos de agora a 2035, e inclui mais de 4 mil moradias, ruas, conexões viárias e outras infraestruturas que ocupariam cerca de 1 mil hectares em Santa Elena de Chicureo.

O Enlace Santa Elena promete não apenas descongestionar o acesso norte a Santiago do Chile, mas também deverá valorizar fortemente o lugar. Por isso, a Construção Latino-Americana quis saber mais a respeito, a fim de verificar os reais benefícios e oportunidades trazidos por esta obra, numa conversa com Diego Croquevielle, gerente geral do projeto.

Um nó a menos

O novo Enlace santa Elena é uma obra viária que ajudará a descongestionar o nó do setor de Lo Arcaya, na saída norte de Santiago, onde hoje circulam em horário de rush até 1,3 mil veículos por hora. Uma vez em funcionamento, “o projeto promete diminuir os tempos de traslado em mais de 30%”, segundo um estudo feito pelo departamento DICTUC, da Pontifícia Universidade Católica do Chile.

“Os veículos que vão para o norte pela Ruta de Los Libertadores e queiram ir à via diagonal, poderão usar um viaduto que evitará que tenham que passar pelo trevo de Lo Arcaya. Com isso, haverá muitos veículos que deixarão de utilizar este trevo, reduzindo de forma importante os graus de congestionamento existentes diariamente neste ponto. Também realizaremos um melhoramento do cruzamento Lo Pinto, o que significará aumentar a capacidade da via ao poente, e faremos um projeto de sinalizações que ajudará a reduzir os tempos de traslado neste ponto também”, comentou Croquevielle.

FOTO3

O investimento do projeto chega a US$9 milhões.

As obras começaram em janeiro passado e o enlace deve estar operacional em aproximadamente um ano e meio. A construção do projeto específico em Santa Elena de Chicureo está a cargo da Icafal, empresa construtora com grande experiência na parte de vias urbanas.

Rumo ao crecsimento

Esta obra viária se enquadra no plano de negócios projetado para o ano de 2035, que tem investimentos previstos da ordem de US$ 828 milhões. “Esta iniciativa vai impulsionar novas etapas em seus distintos bairros, importantes melhoras em seus equipamentos e conectividade”, diz Croqueiville.

A estratégia de negócios, segundo o executivo, “prevê continuar com o desenvolvimento das áreas planas da Zona de Desenvolvimento Urbano Condicionado (ZDUC), para completar 358 hectares de um total de pouco mais de 1 mil ha. Serão 246 hectares adicionais aos 112 atualmente desenvolvidos, completando um total de 4,5 mil moradias”, diz. Neste contexto, o executivo anuncia uma aliança com a Imobiliária SEPCO para o desenvolvimento de 114 casas que ficarão na faixa de entre US$ 300 mil e US$ 380 mil. “Estas residências se caracterizarão por incorporar desenhos modernos e funcionais, com o conceito All Inclusive criado pela SEPCO”, afirma o executivo.

Após a habilitação do viaduto Santa Elena e as melhoras da conectividade do setor, o executivo assinala também que espera-se “um aumento de 10% na velocidade de vendas do projeto e uma alta na valorização de 10% para 2018, e de 5% para 2019”. Além disso, Santa Elena de Chicureo investiu já US$ 16 milhões em eixos viários e na construção de um centro comercial de 460 metros quadrados nos arredores.