As autoridades chilenas estão preocupadas por uma possível falência da empreiteira, o que deixaria trabalhos inconclusos.

A construtora italiana é responsável por vários projetos emblemáticos no Chile, como o projeto de mineração subterrâneo Chuquicamata, obras para ampliar o aeroporto de Santiago e três hospitais. É por isso que o partido político Democracia Cristina (DC) pediu ao presidente Pinera a tomar medidas.

astaldi

Segundo a imprensa do país, os parlamentários do partido publicaram um documento que explica que os hospitais de Linares, Barros Luco e Félix Bulnes seriam os projetos mais preocupantes sendo executados pela construtora. No hospital Félix Bulnes, projeto com custo total de cerca de US$350 milhões, já foi cursada uma multa por atrasos em uma das etapas de execução.

“Nos preocupa que a empresa Astaldi no Chile tenha ganhado a licitação da construção de vários projetos públicos de grande importância e impacto social como a construção do telescópio mais grande do mundo no deserto do Atacama, o complexo hidroelétrico La Punilla, a construção do nível inferior da jazida mineira El Teniente, o novo aeroporto de Santiago e a construção do túnel de Chuquicamata, em um valor superior a US$500 milhões, caso no qual a empresa Codelco já cobrou garantias por incumprimentos sucessivos no valor de US$62 milhões”, argumentou o partido a través do documento.

Os parlamentários temem uma possível falência da empresa já que “seria muito grave, pois dessa situação desprendem-se não só casos de desempregos, mas consequências sociais por três projetos hospitalários não concretizados”.