Uma queda de 11,11% sofreu a construção mexicana em outubro, a maior contração desde 2007, segundo informou Instituto Nacional de Estadística e Geografia (Inegi). Com isso o setor já chega a 16 meses consecutivos de queda, sendo outubro o pior de todos.

De acordo com o Inegi, o valor da produção considera todos os trabalhos de construção executados por uma empresa, sendo considerado o preço de venda e o avanço físico das obras.

O subsetor da indústria que teve maior queda foi “outro tipo de construção”, com 27,8%, seguido pelo setor de água, rego e saneamento, com 23,4%; eletricidade e telecomunicações com 15,9%; edificação com 8,43%; desenvolvimentos de obras vinculadas ao petróleo e petroquímica com 3,75% e transporte e urbanismo (0,76%).