Contrato de PPP está sob avaliação do Banco Mundial, e projeto só sai com seu sinal verde.

SEDAPAL

A concessão do megaprojeto de abastecimento de água potável em Lima, conhecido como Obras de Cabecerea y Conducción, terá 30 anos de duração a contar do início de 2019. É quando a agência ProInversión pretende licitar a iniciativa, cujo investimento deverá ficar em torno de US$ 600 milhões.

A empresa concessionária será responsável por abastecer com água potável o sistema da SEDAPAL, empresa pública de águas do Peru, conforme as regras do contrato.

Gustavo Ibaguen, diretor de projetos da ProInversión, afirmou que o projeto está ainda sob avaliação da Corporação Financeira Internacional (IFC), braço do Banco Mundial, o que explicaria o atraso na licitação, prevista anteriormente para o fim deste ano.

A avaliação considerará além de aspectos técnicos e de engenharia, as condições que o contrato terá que preencher para sair mediante esquema de PPP. “A parte técnica é importante, pois temos represas, túneis e estações no projeto. Tudo isso é parte da avaliação de um projeto de PPP. Ao final, tudo decantará se o projeto for 100% cofinanciado e 100% autossustentável, sem impacto na tarifa. Tudo isto está sendo visto”, disse Ibaguen.