Concessão de 50 anos fará de Posorja o maior porto do país.

posorja

Na cidade de Posorja, Equador, está para começar um projeto de porto de águas profundas, cuja primeira parte é uma grande dragagem. As obras de dragagem preveem um investimento de cerca de US$ 100 milhões, e demorarão cerca de um ano.  

Os trabalhos permitirão a entrada no porto de Posorja de navios Post-Panamax, uma vez que o canal de acesso terá 16,5 metros de profundidade, o que será o mais profundo do Equador. Além disso, terá 175 metros de largura e 39 quilômetros de extensão.

A assinatura para formalizar o início de obras contou com a participação de Boris Palacios, Ministro de Transporte e Obras Públicas do país, e Jorge Velázquez, gerente geral da empresa concessionária do porto, DP World, para quem o fluxo marítimo vem aumentando nos últimos anos. “O Equador é parte desse desenvolvimento portuário e esta dragagem é parte de uma concessão de 50 anos que vai fazer deste porto o primeiro de águas profundas no país, e um dos principais portos da costa oeste da América do Sul”.

A DP World construirá também um terminal portuário, uma estrada de 20 km entre Playas e Posorja e a infraestrutura associada ao porto, onde serão investidos cerca de US$ 1,2 bilhão. Com 78 terminais em operação no mundo, a empresa prevê que Posorja poderá receber navios de entre 8 mil e 15 mil TEUs. O executivo da concessionária comentou que espera para 2019 o início da operação naval no porto, e um paulatino aumento do volume de carga.