O faturamento da espanhola na região supera os US$200 milhões. 

Fundada em 1891, a COMSA Corporación é o primeiro grupo na bolsa de valores da Espanha do setor de infraestrutura e engenharia, e se especializou na construção e manutenção de redes de transporte rodoviárias e ferroviárias, edifícios, obras hidráulicas, portuárias e aeroportuárias, bem como no projeto e execução de instalações para o setor industrial, de infraestrutura e serviços.

1 DuplicacionBoavista_Canguera_Brasil

Duplicação de estrada entre Boavista e Canguera (Brasil).

A companhia, que encerrou o ano passado com um faturamento de €1,08 bilhão (cerca de US$1,245 bilhão), tem previsto para este ano um crescimento de 15,4%, alcançando assim €1,247 bilhão (cerca de US$1,44 bilhão).

Ao longo de seus quase 130 anos de história, a companhia teve um papel preponderante no desenvolvimento da conectividade da Espanha. No final dos anos 80 participou dos projetos dos metrôs de Barcelona, Madrid, Bilbao e Valência, e da primeira linha de alta velocidade (Madrid-Sevilha). De fato, até hoje a construtora tem estado presente na realização de todas a linhas de AVE (Alta Velocidade Espanhola) do país. Paralelamente, durante esses mesmos anos, executou obras de alto prestígio motivadas pelos Jogos Olímpicos de Barcelona, dentre as quais se destacam as instalações desportivas Palau Sant Jordi e o segundo Cinturón de Ronda da cidade.

Porém, as atividades da COMSA Corporación não se limitaram à construção. A empresa também tem desempenhado um papel importante na promoção de soluções tecnológicas para o seu setor. Neste sentido, em 1982 foi pioneira ao incorporar o Trem de Renovação Rápida de via, único na Espanha até a data, e que representou um salto qualitativo nos trabalhos ferroviários. Mais recentemente, desenvolveu o Neoballast, um balastro ferroviário de alta performance que limita a erosão ocasionada pela circulação de trens e atenua o nível de ruído e vibrações.

Internacionalização

A companhia começou sua internacionalização na década de 90 e hoje está presente em mais de vinte países. De fato, no ano passado os negócios internacionais da empresa representaram €582 milhões (quase 54% do total) e para 2018 espera-se que os rendimentos fora da Espanha alcancem €739 milhões (representando assim 59,2% de seu faturamento).

2 RenovacionViaBelgrano_Argentina

Renovação de via para os Ferrocarriles de Belgrano (Argentina).

A América Latina foi um mercado estratégico devido às elevadas oportunidades de desenvolver novas infraestruturas de transporte e modernizar as já existentes. Dos seus primeiros anos na região destacam-se a remodelação do ramal entre Buenos Aires e Mendoza, ao sul da província de Santa Fe (Argentina) e a execução e reabilitação de 370 quilômetros de via férrea pertencentes ao projeto Zona Norte, no Chile.

Hoje, a empresa conta com presença estável nos seguintes países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Paraguai, Peru e Uruguai. O grupo encerrou o ano passado com vendas de US$201 milhões na América Latina, uma cifra que representa um aumento de 32% em relação ao exercício anterior (US$136 milhões).

3 CarreteraSonoyta_Mexico

Ampliação da estrada entre Sonoyta e San Luis Río Colorado em Sonora (México).

Entre as obras mais emblemáticas estabelecidas ou em execução em 2017, destacam-se a construção da segunda fase da linha 4 do metrô de São Paulo e o início da duplicação de um trecho da rodovia Régis Bittencourt na Serra do Cafezal, ambas obras no Brasil; no Uruguai, a modernização de um trecho de 327 quilômetros de estrada entre Piedra Sola e Salto Grande, e a nova fábrica para os Laboratórios Eriochem em Montevidéu; na Colômbia se sobressaem a execução do túnel Amagá da autoestrada Pacífico 1 e o fornecimento de equipamentos eletromecânicos e sistemas de comunicações para o túnel de La Línea, e no Peru a manutenção da rede de transporte e distribuição elétrica para a ENEL em Norte Chico e em Lima; a conservação da linha A do metrô da Cidade do México e a construção de uma fábrica de biológicos para a empresa Neolpharma também na capital mexicana.

A América Latina é, portanto, uma região estratégica para a COMSA Corporación. Neste sentido, para os anos vindouros o grupo prevê manter sua tendência ascendente nos mercados onde já está em atividade, mediante a execução de novos projetos emblemáticos de infraestrutura e engenharia industrial em estreita colaboração com empresas locais com alto know-how em construção. Ainda assim não descarta ingressar em novos países do entorno com elevadas oportunidades de negócios, e que mantenham um ambiente jurídico, econômico e político de estabilidade, com o objetivo de fornecer sua alta experiência no serviço de comunicações e, em definitivo, consolidar sua internacionalização.