O grupo de trabalho da FIIC quer impulsionar maior participação das Câmaras de Construção da região.

Através de videoconferências e reuniões presenciais, a Comissão de Infraestrutura da Federação Interamericana de Indústrias da Construção (FIIC) se mantém ativa e impulsiona uma maior participação das Câmaras que agrupa.

g20

A reunião do G20 em Ushuaia, Argentina, contemplou reuniões do B20.

Pode ser através do Zoon, do WhatsApp ou por e-mail, mas a cada mês sem falta, a Comissão se reúne para debater as problemáticas tradicionais e novas do setor. Entre os temas mais recentes se destacam: direitos de via (efeitos sobre prazos e custos); licença social (inclusive aspectos ambientais) e sistemas de designação de obras públicas (em particular o que se refere a mecânicas que limitem o acesso às concorrências ou fomentem a discricionariedade do ente contratante).

Enquanto isso, segue o diálogo para aprofundar a análise de pontos como:

Ferramentas contra-cíclicas. Se passa em revista a situação de cada país a fim de saber se as autoridades adotam ou não políticas ativas para reduzir o efeito da recessão.

Parcerias público-privadas: Estuda-se a evolução dos contratos de PPP no mundo e na América Latina. Atualmente, percebe-se com desalento o cenário mundial da construção, com baixo investimento devido à escassez dos recursos públicos. Deveria ser incentivada a colaboração entre países através de PPPs, com o objetivo de aumentar os investimentos. Paralelamente, ressaltou-se a ação continuada de promoção da ferramenta por parte de bancos multilaterais e órgãos internacionais.

Estudo de preços comparados. Comparam-se preços de insumos e rendimentos de uma obra viária padrão na América Latina. Enviou-se aos membros da Comissão um orçamento ajustado às tecnologias, rendimentos e custos vigentes atualmente na Argentina, realizado com o concurso de empresas associadas. Além disso, convidou-se os membros da Comissão a fazer exercícios equivalentes, com equipamentos, rendimentos e custos de seus países. Isto para possibilitar a comparação de custos e rendimentos para uma mesma obra.

BUSINESS 20 (B20)

Na Argentina, por sua vez, se desenvolveu em maio o B20, instância que reúne setores empresariais das 20 maiores potências do mundo, e cujas posições são consideradas na Cúpula Anual do G20.

A Comissão participa nos Grupos de Trabalho do B20, em particular na Task Force da Financiamento do Crescimento e a Infraestrutura, que gira em torno ao desafio de reduzir o déficit de infraestrutura que cresce a cada ano. A disponibilidade de infraestrutura é pré-requisito para a qualidade de vida da população e para a competitividade de cada país ou região.

Os principais eixos de trabalho são:

Constituir o investimento em infraestrutura como uma nova Asset Class nos mercados financeiros, facilitando a que os recursos financeiros mundiais fluam em direção às necessidades de infraestrutura, tornando-a acessível, inclusive, a investidores menos sofisticados.

Potencializar o uso de capital privado através de PPPs. Estes deveriam ampliar o acesso de capital privado aos projetos, e melhorar sua eficiência, tendo em conta seus benefícios (econômicos, sociais e ambientais) ao longo de todo seu ciclo de vida.

Aumentar o acesso a um financiamento acessível à moradia, pois a habitação digna é uma condição básica da qualidade de vida e o financiamento à moradia é seguro, estável e positivo para ambas as partes.

 

Escrito por Fernando Lago, participa da Câmara Argentina da Construção, é Conselheiro da FIIC e Coordenador da Comissão de Infraestrutura.