Diretor Geral do Sistema de Águas propõe um investimento que triplica o atual num prazo de 50 anos.

Agua potable méxico

A Cidade do México está passando por um período crítico na sua infraestrutura hídrica. Ramón Aguirre, diretor geral do Sistema de Águas (Sacmex) da capital mexicana afirmou durante sua participação no Fórum Água Capital que “as drenagens da cidade estão sendo destruídas pelo uso e pela idade”.

Esta ocasião serviu para apresentar uma plataforma colaborativa que busca encontrar soluções para a segurança hídrica do Valle de México. A iniciativa está composta por empresas como Mexichem, Citibanamex, e Coca-Cola FEMSA, assim como cientistas e órgãos multilaterais.

Aguirre detalha que “precisa-se mudar ao menos 70% da infraestrutura hídrica, para o que será necessário um investimento de US$15 bilhões em 50 anos, ou seja, US$300 milhões por ano. Atualmente são investidos pouco mais de US$ 80 milhões”. Neste sentido, de acordo com autoridades da Sacmex, dentro do investimento consideram a construção de 22 novas plantas de tratamento de água, que se somem às 53 existentes. “Temos 50 anos para resolver, exceto se houver uma seca nas represas de Cutzamala; o que poderia deixar sem água mais de 4 milhões de pessoas”, assegurou Aguirre. “Em caso de acontecer tal seca, considero necessário ter reservas que requeririam um investimento de US$ 55 milhões”.