O projeto, que exige um investimento de US$160 milhões, transportará o gás a terra firme através de um gasoduto.

No final deste ano ou no começo do próximo, prevê-se o início da construção do projeto GNL Talcahuano, no Chile, iniciativa da companhia Regional de Infraestrutura (CRI) e da Eos Investments Group LLC, que recebeu osl icenciamentos ambientais em julho do ano passado.

Puerto isla talcahuano

O projeto, que compreende investimentos por cerca de US$160 milhões, comtempla a instalação e operação de um terminal marítimo do tipo ilha para a atracação de navios tanque de gás natural liquefeito. O gás será transportado a terra mediante um gasoduto que vai se conectar ao sistema de transporte existente.

“Um projeto amigável e conveniente, que vai ser o primeiro terminal marítimo neutro em carbono no Chile”, explicou Francisco Ibieta, Gerente de Assuntos Públicos da GNL Talcahuano, em entrevista ao jornal Concepción. O terminal projetado na baía de Concepción (uns 450 quilômetros ao sul de Santiago), compensaria as emissões de CO2 que se produzirem durante as operações, através de um programa de reflorestação do bosque nativo na zona.

O projeto GNL Talcahuano deve facilitar uma redução do preço da energia para as empresas regionais, “o que permitiria orientar recursos para outros projetos e áreas da economia na zona”, explicou o executivo.

De acordo com o calendário da empresa, ao redor de 2020 o abastecimento de gás deverá estar disponível.