La carretera Nova Dutra está en los planes de concesiones de 2020.

La carretera Nova Dutra está en los planes de concesiones de 2020.

São 44 concessões de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias as que o Brasil pretende licitar durante 2020, iniciativas de infraestrutura que demandariam investimentos de cerca de 101 bilhões de reais (pouco mais de US$24,6 bilhões).

A cifra representa onze vezes tudo o que o Governo arrecadou durante 2019 em concessões de infraestrutura, e 43% do plano de concessões do mandato de Bolsonaro até 2022, que supõe cerca de 231 bilhões de reais (cerca de US$56,3 bilhões).

Repartição:

Segundo os planos do Governo, em 2020 sete rodovias, que devem gerar 42,6 bilhões de reais (cerca de US$10,39 bilhões) em investimentos, serão entregues à iniciativa privada. Neste sentido, um dos investimentos mais importantes será o da rodovia Nova Dutra, que une São Paulo e o Rio de Janeiro, e que demandaria investimentos de 17 bilhões de reais (cerca de US$4,15 bilhões). “Será o grande projeto do ano que vem, junto com os 22 aeroportos que serão concedidos à iniciativa privada”, disse o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Os investimentos nesses 22 aeroportos, que serão licitados em dezembro do próximo ano, supõem 5 bilhões de reais (cerca de US$1,2 bilhão). Em 2021, os aeroportos brasileiros restantes que ainda tenham administração estatal, serão licitados.

Em relação ao setor portuário, pretende-se licitar nove terminais nos estados do Ceará, Bahia e Maranhão, no Nordeste, e São Paulo e Paraná, com quase 1 bilhão de reais em investimentos (US$245 milhões).

No setor ferroviário esperam-se investimentos por 52,8 bilhões de reais (US$12,88 bilhões) com duas novas vias de trem, que integrarão o oeste e este do país com a Ferrogrão, assim como quatro renovações de contrato antecipadas.