Durante 2018 serão abertas novas licitações.

Bogota

Bogotá

Bogotá está em plena transição para converter-se em uma cidade mais inteligente ao mesmo que pretende melhorar a sua infraestrutura urbana, rodoviária y hospitalar. Esta planificação vem de mãos dadas com investimentos estrangeiros, segundo a Invest Bogotá. “A construção do metrô em Bogotá é o projeto mais importante da América Latina nos próximos dois anos. Nessa linha, há muitos projetos chave para a capital como o funicular da Cidade Bolivar ou a renovação de Campín”, disse Juan Gabriel Pérez, diretor executivo da consultora.

Entre outras iniciativas, destaca a renovação do Centro Administrativo Nacional (CAN), que começará no primeiro semestre de 2018 e será entregue durante o segundo semestre de 2020. Seu investimento é, inicialmente, de US$150 milhões. O coliseu Campím por outro lado, deve ser entregue no segundo semestre de 2018 e receberá investimentos por US$23 milhões.

Em quanto à reforma hospitalar que planeja o Distrito capital do país, a primeira licitação acontecerá em junho de 2018 e inclui as expansões dos hospitais Santa Clara, Simón Bolivar e Materno Infantil; além da construção de centros em Bosa, Usme e La Felicidad. O investimento total será de US$565 milhões.

Outra iniciativa será a ampliação dos acessos pelo norte de Bogotá, e será executada mediante concessão da Agência Nacional de Infraestrutura (ANI) e, de fato, já está em operação com um novo privado, o Accenorte. O projeto é de US$400 milhões.

A ANI, o Ministério de Transporte e a Prefeitura apresentarão amanhã a estruturação da Rodovia Longitudinal de Ocidente (ALO) que esteve travada durante vários anos por moradias que foram ocupadas ilegalmente por comunidades. O processo de licitação dessa iniciativa começaria em 2018 e, no final desse mesmo ano ou

acontecer entre 2019 e 2021.