Crédito de R$ 23 milhões foi concedido à Votorantim Cimentos. 

votorantim edealina

Edealina

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou um financiamento de R$ 23 milhões para a Votorantim Cimentos – a maior do país – para aumentar seus níveis de coprocessamento.

O aporte do banco público representará quase a metade de um investimento de R$ 43 milhões pretendido pela Votorantim em duas de suas unidades para substituir a queima do coque de petróleo por pneus e outros resíduos sólidos nos fornos cimenteiros.

As unidades em questão são as fábricas de Salto de Pirapora, no estado de São Paulo, e Edealina, em Goiás. Na primeira, o potencial de redução de uso do coque é de até 20%, enquanto em Edealina o número chega a 30%.