Uma centena de projetos estratégicos que demandariam investimentos de mais de US$ 117 bilhões.

Não é surpresa que o déficit de infraestrutura na América Latina seja enorme e as necessidades de investimento, gigantescas Para ajudar a identificar onde estão as oportunidades de investimento que permitirão ir melhorando esta situação, a consultoria CG-LA realizou um estudo em que lista as 100 principais oportunidades, levando em conta cinco critérios diferentes: competitividade (como se ajusta à visão econômica geral do país), produtividade (como ajuda as pessoas a trabalhar melhor), capacidade de geração de empregos, potencialidade de criação de negócios. E eficiência ambiental.

CLA 09 2018 100 Projects PTG 1st proof

Segundo o mais recente relatório, os 100 principais projetos regionais que poderiam se tornar realidade entre os próximos três e 18 meses requerem de um investimento próximo a US$ 117,5 bilhões. Embora seja um valor bem alto, não seria este o grande obstáculo. Camilo Solomon, presidente executivo da Global Infrastructure Advisors (GIA), que participou da 16ª edição do Fórum de Liderança em Infraestrutura da América Latina e Caribe organizado pela CG-LA, o verdadeiro problema dos projetos de infraestrutura na América Latina não é a obtenção de capital, e sim o risco. Segundo ele, a economia global tem atualmente “mais capital buscando projetos de investimento que projetos na América Latina que precisam de capital”. Não obstante, os projetos latino-americanos ainda não apresentam a estruturação necessária para satisfazer os critérios dos investidores internacionais.

“O problema é como administrar, mitigar e controlar os riscos para conseguir que um projeto de infraestrutura seja atrativo para o mercado institucional”, diz Solomon.

Grandes oportunidades

Independentemente da estruturação e da atratividade dos projetos em geral, a realidade é que as necessidades existem, e os países e empresas procuram aparar suas arestas.

Sem dúvida, um dos setores que mais necessidades tem na região é o de construção de estradas e rodovias. Um quinto dos projetos listados pela consultoria é da categoria Rodovias e Pontes, com investimentos que somam US$ 23,5 bilhões, abarcando assim 19,9% do montante total estimado pelo relatório. Muito perto, e com valores que ficam em torno de US$ 23 bilhões, está o setor de Petróleo e Gás, e logo atrás dele as iniciativas que se referem a Transporte Urbano Massivo, que considera projetos por maia de US$ 18 bilhões. Estes três setores, que em número de projetos representam um terço da centena total, usariam 55% do capital total calculado.

Em termos de países, o Brasil fica em primeiro lugar com 15 investimentos estratégicos que somariam valores de investimento por cerca de US$ 34,6 bilhões, representando assim 30% do total dos projetos.

Somos seguidos por Porto Rico, que tem projetos de cerca de US$ 20,4 bilhões. Mas neste caso, quase o total deste valor (US$ 20 bilhões) tem a ver com um só projeto, o Caribbean Fuels Supply, iniciativa que segundo a empresa promotora SeaOne mudará por completo a indústria de combustíveis da ilha.

Em terceiro lugar está a Colômbia, com iniciativas por US$ 12,3 bilhões, das quais mais de 40% são classificadas como de transporte urbano.

Estes três países representam mais de 57% do montante de investimentos listados pela CG-LA.

Arquivos relacionados/tabelas