Argos monta projeto de redução de CO2 com microalgas

By Gabriel Lira25 November 2019

microalgas-argos

A cimenteira colombiana Argos está aplicando um sistema de biorreatores à luz e microalgas, a fim de reter o CO2 emitido pela produção de cimento. O cimento, segundo se diz, é responsável por 5% das emissões de gases poluentes do mundo.

Os pesquisadores, em conjunto com a Universidade Eafit e a Universidade de Antioquia, afirmam que o novo sistema já permite que as microalgas absorvam CO2 numa proporção 50 vezes maior do que as árvores e plantas de superfície. Além disso, elas poderiam ser usadas depois para produzir combustível.

Gabriel Jaime Vargas, pesquisador líder do projeto, disse que “as microalgas obtêm através da luz do sol a energia que precisam para capturar o CO2 e transformá-lo em matéria vegetal, novos tecidos de microalgas. Assim, desenvolvemos técnicas de cultivo para fazer testes em nível industrial. Queremos reduzir o CO2 da indústria cimenteira”.

A unidade da Argos que vem realizando os testes é a fábrica de Cartagena de Índias, a mais famosa da empresa. De acordo com o pesquisador, “no laboratório, se transforma as microalgas para obter óleo biológico, com o qual se pode obter uma espécie de biodiesel”.

“Este projeto está na vanguarda da indústria e nos entusiasma não apenas por seu impacto positivo para o setor cimenteiro, mas também pelas aplicações futuras, inclusive potencialmente como um filtro para dar qualidade ao ar”, disse Juan Esteban Calle, presidente da Cementos Argos.

More Articles from Construção Latino Americana
Case é premiada por design de retro elétrica
A Case Construction Equipment foi premiada com o 2020 Good Design Award por sua retroescavadeira elétrica 580 EV.
ALEC divulga pesquisa mensal com locadoras
A Associação Brasileira das Locadoras de Equipamentos e Bens Móveis (ALEC) divulgou os resultados de sua pesquisa mensal sobre o setor.