Congresso latino-americano do aço

23 October 2019

Os anos recentes têm sido de crescimento mais lento ao redor do mundo. Os baixos juros, no entanto, são uma oportunidade para que governos renovem seus investimentos em infraestrutura e promovam a economia do futuro, de acordo com a recomendação da OCDE. Para debater os desafios contemporâneos, especialistas e executivos de algumas das maiores produtoras de aço da América Latina se reunirão no Congresso Latino-Americano do Aço, Alacero-60, que será em novembro em Buenos Aires.

Alacero

Um dos principais temas em debate será o dos déficits comerciais do aço entre a nossa região e a China, que já chegam a US$ 30 bilhões em 2018, de acordo com a Alacero.

Em julho de 2019, apenas alguns países da América Latina mostravam perspectiva de melhora em seus PIBs, e junto a isso a perspectiva comercial deficitária continuava em aumento para o aço na maioria das economias. O que indica o quanto ainda pode e deve ser feito para o desenvolvimento da região como um todo. A produção de aço bruto caiu 5,4% de junho a julho e 15% interanuais. A produção de aço laminado em julho caiu 2,5% comparando-se ao mês anterior, e 2,5% com relação a julho de 2018.

Para discutir as perspectivas do setor, serão abordados temas estratégicos no evento, como a situação da indústria mundial do aço, as projeções e a consolidação da indústria 4.0 num contexto de preocupação ambiental.

As temáticas

O painel Contexto Latino-Americano – Agenda para os próximos quatro anos, trará o ex-político mexicano Antonio Ortiz-Mena, o cientista político brasileiro Murilo Aragão e o economista argentina Rodolfo Santángelo, sob a moderação de Andrés Malamud, cientista político argentino e professor da Universidade de Lisboa.

Malamud também será o palestrante principal na sessão sobre Situação político-econômica da América Latina.

Em outro momento, os CEOs da indústria de aço da região vão se reunir no palco. Máximo Vedoya, da Ternium; Gustavo Werneck, da Gerdau; e Jefferson de Paula da ArcelorMittal Americas falarão sobre o futuro do aço na América Latina.

O tema Indústria 4.0 – O que está sendo feito na indústria contará com as participações de Roberto Demitchuck, da Ternium, Gustavo França pela Gerdau, Paula Harraca pela ArcelorMittal e Sergio Kaufmann da Accenture Argentina.

Além destes painéis, haverá a mesa de discussão A contribuição do setor para a Agenda de objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) 2030, moderado por Sebastián Bigorito, diretor do Conselho Empresarial Argentino para o Desenvolvimento Sustentável.

Dividido em duas partes, o painel vai abordar casos de sucesso de empresas siderúrgicas em questões como educação, diversidade e sustentabilidade, apresentando histórias da Usiminas, Acindar, Techint e outros casos realizados pelo Terceiro Setor.

Para mais informação, veja o site https://congreso.alacero.org/